Ana Petkovic canta na virada do ano

Filha do ex-craque do Flamengo se apresenta no Réveillon de Copacabana e fala de sua paixão pelo Brasil

Por BRUNNA CONDINI

Ana Petkovic
Ana Petkovic -

A cantora Ana Petkovic tem motivos de sobra para ser grata ao ano que se despede e celebrar o que chega. Cantando pela primeira vez ao vivo para um megapúblico no Réveillon de Copacabana, a filha do ex-jogador Petkovic se apresenta na praia de Copacabana, amanhã, às 19h, no palco em frente ao Copacabana Palace.

"É uma responsabilidade muito grande e também uma honra ao mesmo tempo. Estou cantando no maior Réveillon do mundo, para 2 milhões de pessoas", observa. "É uma pressão, mas acho que esse convite foi uma confirmação do trabalho que estou fazendo e as pessoas estão gostando".

Aos 20 anos, a morena que nasceu em Madri foi criada entre Salvador e o Rio de Janeiro, viveu na China e na Arábia Saudita, e atualmente mora na Sérvia, a pátria de seus pais, está empolgada com a oportunidade. "Vai ser um show grande, com uma banda de sete músicos. Além de canções autorais do CD novo 'Mais e Mais', vou cantar 'Quase um Segundo', de Herbert Vianna, 'Nada Vai Mudar Isso', de Paulinho Moska, e 'Mais Ninguém', da Banda do Mar. Além de músicas em espanhol e inglês", adianta.

Para a artista, passar a noite de amanhã no palco é a concretização de um sonho. "É uma realização cantar para tanta gente. E nunca esperei já ter essa oportunidade com 20 anos".

ALMA BRASILEIRA

Ana é espanhola de nascimento, mas brasileira por identificação. "Vim para o Brasil com cinco meses. Primeiro para Salvador, com 2 anos, e depois para o Rio. Morei aqui até 15 anos. Passei mais da metade da minha vida no Rio. Cresci aqui, tenho muitos amigos e muito carinho pelo Brasil. Escolhi o Rio como a cidade para morar. Me identifico com o povo, com as praias, com o calor", conta. "Me considero brasileira acima de tudo. Mais que isso, uma cantora brasileira - que também interpreta em inglês, em espanhol, em sérvio", completa.

PERFECCIONISMO

A relação de amor com a música vem da infância. "Canto desde pequena. Comecei a fazer aulas de piano, canto lírico e guitarra com nove anos. Desde então estudo muito, inclusive a teoria da música. Sou perfeccionista. Dou o meu melhor em tudo que faço", confessa.

Ela revela ainda que começou a cantar profissionalmente há cinco anos e que já tem 60 composições: "Dez estão no no atual trabalho".

Ana conta que o pai famoso é um grande incentivador. "Meus pais sempre me apoiaram muito e ajudaram a realizar os meus sonhos e da minha irmã. Meu pai é meu maior fã, pai coruja. Sempre quando chegava dos treinos, mesmo cansado, pegava a guitarra e pedia para cantar uma música para ele. Sempre mostro as composições para ele".

E a cantora revela ainda o que o ex-craque do Flamengo ensinou de mais precioso: "Ele sempre foi uma grande influência. Tenho muita admiração, porque foi um gringo que conseguiu fazer história no Brasil. Sei que a concorrência aqui é grande, mas vou seguir meus sonhos da mesma maneira que ele seguiu os dele. Ele me ensinou a ser persistente, uma pessoa boa e honesta".

2018

Nos planos para o novo ano, mais trabalho, e por aqui também. "Depois do show volto para Sérvia e vou trabalhar o CD por lá.Mas vou voltar e seguir minha carreira aqui no Brasil, fazer mais shows e parcerias musicais", garante.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Ana Petkovic Marcos Hermes/divulgação
Ana Petkovic mora na Sérvia, mas pretende seguir a carreira no Brasil Marcos Hermes/divulgação

Comentários