Eduardo Paes pode perder o apoio do MDB (ex-PMDB) - Severino Silva / Agência O Dia
Eduardo Paes pode perder o apoio do MDB (ex-PMDB)Severino Silva / Agência O Dia
Por PAULO CAPPELLI
Publicado 18/01/2018 03:15 | Atualizado há 3 anos

Rio - Em reunião com a bancada de deputados federais do MDB (ex-PMDB), o ministro do Esporte, Leonardo Picciani, deu o recado: caso Eduardo Paes deixe o partido, perde a garantia do apoio da legenda para o governo do estado. E mais: Picciani acenou com a possibilidade de lançar o deputado estadual Pedro Fernandes (MDB), que já anunciou a intenção de concorrer ao Palácio Guanabara.

Escudeiros do ex-prefeito do Rio, Pedro Paulo Carvalho e Laura Carneiro reclamaram. Disseram que, ao impulsionar outra candidatura agora, o partido "deixa de dar prioridade" a Eduardo Paes. Leonardo Picciani contra-argumentou: "Precisamos trabalhar com diferentes cenários".

Prazo

Filho de Jorge Picciani, presidente do MDB-RJ preso preventivamente em Benfica, Leonardo chegou a cobrar um curto prazo para que Paes defina se ficará no partido. O ministro aumentou a tolerância quando Pedro Paulo e Laura Carneiro alegaram que o ex-prefeito precisava de mais tempo para se reambientar após morar 13 meses nos Estados Unidos, Paes retornou apenas ontem ao Rio. Como a reunião ocorreu anteontem, Paes não participou do encontro.

E agora?

O surgimento de Pedro Fernandes como potencial candidato apoiado pelo clã Picciani e pelo MDB foi um balde de água fria na pretensão de aliados de Paes que esperam vê-lo em outro partido, mas com o apoio do MDB. É que a legenda tem o maior fundo partidário (dinheiro para campanha), o maior tempo de propaganda eleitoral e o maior número de prefeituras no estado.

Orelha quente (1)

Na reunião, sobrou até para Pezão. "Empodera (dá espaço no governo a) deputados estaduais, mas esquece que os federais foram essenciais para aprovar, em Brasília, o plano de recuperação fiscal", reclamou Wilson Beserra.

Resultado

Ficou combinado um encontro da bancada do MDB federal com Pezão.

Fora?

Laura Carneiro e Celso Pansera disseram que dificilmente permanecerão no MDB por conta de divergências no âmbito nacional. "Não posso confiar em um partido presidido nacionalmente pelo Romero Jucá", desabafou Pansera, que deixou a reunião momentos depois para se encontrar com o ex-presidente Lula (PT).

Presentes e ausentes

Participaram do encontro os deputados Alexandre Serfiotis, Celso Pansera, Laura Carneiro, Pedro Paulo, Soraya Santos, Wilson Beserra e Zé Augusto Nalin. Altineu Côrtes estava viajando. Já Marco Antônio Cabral não pôde ir porque estava visitando o pai, Sérgio Cabral, no presídio de Benfica como a reunião do partido foi agendada via WhatsApp para o mesmo dia, Marco Antônio não conseguiu chegar a tempo.

Postulantes

Braço direito de Jorge Picciani, o ex-prefeito de Queimados Max Lemos chegou com a reunião em andamento, assim como o presidente do Detran-RJ, Vinicius Farah. Ambos miram a Câmara dos Deputados.

Orelha quente (2)

Em reunião com seu secretariado, ontem, o governador Pezão não poupou críticas ao deputado oposicionista Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB): "Diz que entende de contas públicas, mas não entende p*rra nenhuma".

Você pode gostar
Comentários