Por

A crescente onda de fraudes e golpes contra os segurados acendeu o alerta na Secretaria de Previdência do Ministério da Fazenda, que criou uma força-tarefa composta por membros da própria pasta, Polícia Federal, Advocacia-Geral da União (AGU), Receita Federal e Ministério Público Federal (MPF). O objetivo, informou ao DIA o secretário de Previdência, Marcelo Caetano, é identificar e combater todo e qualquer início de fraude contra os cofres do INSS.

E as fraudes sangram os cofres da Previdência: somente em 2017 a força-tarefa conseguiu evitar um prejuízo de R$ 184,5 milhões. Foram realizadas 47 operações e 24 flagrantes, registrando um prejuízo já identificado aos cofres públicos de R$ 105,4 milhões.

Somente nas operações, foram cumpridos 656 mandados judiciais, sendo 96 mandados de prisão e 240 de condução coercitiva, além de 320 de busca e apreensão. Já as ações de flagrantes resultaram em 45 prisões. "O diferencial do último ano foi a utilização do monitoramento de indicadores e batimento de dados em operações", avalia o chefe da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária (Coinp), Marcelo Henrique de Ávila.

Você pode gostar
Comentários