Logo_Imperio_da_Ttijuca - Reprodução
Logo_Imperio_da_TtijucaReprodução
Por

Horário: 23h15

Enredo: Olubajé,

um banquete para o rei

Compositores: Márcio André, Elson Ramires,
Núia Rodrigues, Paulo Lopita 77
e Samir Trindade

Quando Nanã gerou

Entregou seu filho a Yemanjá

Com todo amor ela cuidou

E lhe curou, na imensidão do mar

Salve o esplendor brilhante da manhã

Do filho iluminado de Oxalá e Nanã

Ele voltou

Caçador, feiticeiro e bom de guerra

Batizado, Senhor do Sol e da Terra

Obaluaiê Jêjê Nagô, é Oluaiê, chama e calor

A cura de todo mal cobriu na palha

Pode ter fé a magia do veho não falha

Sapaktá tribo dos ancestrais

Reinam mães senhoras e os orixás

Ossain nas folhas o poder

Iroko, Yewa, Arroboboi Oxumarê

Eu quero ver Omulo dançar

No Opanijé com o seu xaxará

Tem pipoca no alguidar, mandigueiro

Sinfornia imperial chegou no terreio

Atotô baluaiê meu pai vem nos valer

O banquete para o rei vamos te oferecer

Espelho de gente guerreira

Que dá o suor na labuta, e faz Olubajé

No Império da Tijuca

Araloko, Araloko Pajuê

Ê Pajuê ê Pajuê

Vem o Morro da Formiga,

vem pra vencer

Você pode gostar
Comentários