Por

Horário: 02h40

Enredo: 'Com Dinheiro ou Sem Dinheiro,

eu Brinco!'

A irreverência e a crítica serão as marcas da Verde e Rosa. Menos luxo e mais conteúdo, como adiantou o carnavalesco Leandro Vieira, acostumado a gerir desfiles com orçamento reduzido. Com reaproveitamento de materiais do ano passado, a agremiação vai discutir a pertinência do Carnaval para o Rio e bater na tecla do corte da verba da prefeitura.

Compositores: Lequinho, Júnior Fionda, Alemão do Cavaco, Gabriel Machado, Wagner Santos, Gabriel Martins e Igor Leal

Chegou a hora de mudar

Erguer a bandeira do samba

Vem a luz à consciência

Que ilumina a resistência dessa gente bamba

Pergunte aos seus ancestrais

Dos antigos carnavais, nossa raça costumeira

Outrora marginalizado já usei cetim barato

Pra desfilar na mangueira

A minha escola de vida é um botequim

Com garfo e prato eu faço meu tamborim

Firmo na palma da mão, cantando laiá, laiá

Sou mestre-sala na arte de improvisar

Ôôôô somos a voz do povo embarque nesse cordão

Pra ser feliz de novo

Vem como pode no meio da multidão

Não não liga não!

Que a minha festa é sem pudor e sem pena

Volta a emoção

Pouco me importam o brilho e a renda

Vem pode chegar

Que a rua é nossa mas é por direito

Vem vadiar por opção, derrubar esse portão, resgatar nosso respeito

O morro desnudo e sem vaidade

Sambando na cara da sociedade

Levanta o tapete e sacode a poeira

Pois ninguém vai calar a Estação Primeira

Se faltar fantasia alegria há de sobrar

Bate na lata pro povo sambar

Eu sou Mangueira meu senhor, não me leve a mal

Pecado é não brincar o carnaval!

Eu sou Mangueira meu senhor, não me leve a mal

Pecado é não brincar o carnaval!

Você pode gostar
Comentários