Por

Horário: 01h35

Enredo: 'Uma Noite Real no Museu Nacional'

A escola de Ramos vai cantar o bicentenário do Museu Nacional, alicerce de arte, ciência, história e cultura universais. No sexto Carnaval de Cahê Rodrigues, a agremiação explora o fato de a imperatriz Leopoldina ter sido uma das grandes financiadoras do então Museu Real, quando fundado por Dom João VI, que estará representado na Sapucaí junto a outros membros da corte portuguesa com muita suntuosidade.

Compositores: Jorge Arthur, Maninho do Ponto, Julinho Maestro, Marcio Pessi e Piu das Casinhas

Onde a musa inspira a poesia

A cultura irradia o cantar da imperatriz

É um palácio, emoldura a beleza

Abrigou a realeza, patrimônio é raiz

Que germinou e floresceu lá na colina

A obra-prima viu o meu Brasil nascer

No anoitecer dizem que tudo ganha vida

Paisagem colorida deslumbrante de viver

Bailam meteoros e planetas

Dinossauros, borboletas

Brilham os cristais

O canto da cigarra em sinfonia

Relembrou aqueles dias que não voltarão jamais

Voa tiê, tucano e arara

Quero-quero ver onça pintada

Os tambores ressoaram, era um ritual de fé

Para o rei de Daomé, para o rei de Daomé

A brisa me levou para o Egito

Onde um solfejo lindo da cantora de Amon

Ecoa sob a lua e o sereno

Perfumando a deusa vênus sem jamais sair do tom

Marajó, carajá, bororó

Em cada canto um herdeiro de Luzia

Flautas de chimus e incas

Sopram pelas grimpas linda melodia

A luz dourada do amanhecer

As princesas deixam o jardim

Os portões se abrem pro lazer

Pipas ganham ares

Encontros populares

Decretam que a quinta é pra você

Gira coroa da majestade

Samba de verdade, identidade cultural

Imperatriz é o relicário

No bicentenário do Museu Nacional

Você pode gostar
Comentários