Por paulo.gomes

Rio - Nove profissões do setor industrial brasileiro terão maior oferta de trabalho até 2020. Nas três primeiras colocações estão os supervisores de produção em indústrias de transformação de plástico, os engenheiros de petróleo e os técnicos em sistema de informação. O levantamento consta em pesquisa da Fundação Getúlio Vargas-RJ (FGV-Projetos) solicitada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). O estudo tratou de 246 atividades específicas do segmento.

Há muitos postos de trabalho disponíveis para profissionais da indústria química até 2020Divulgação

Gerente de pesquisa da Firjan, Hilda Alves avalia que as exigências do mercado serão altas em termos de formação dos profissionais. “As empresas estão exigindo além da formação minima. O profissional técnico, por exemplo, não deve se acomodar e precisa buscar uma graduação. Assim como daqueles de nível Superior será cobrado ter pelo menos uma pós-graduação”, relata a gerente.

Os supervisores de produção em indústrias de transformação de plástico, profissionais responsáveis por coordenar e programar as atividades dos trabalhadores industriais, lideram o ranking das profissões com maior perspectiva de empregabilidade. “E apesar da formação mínima deste profissional ser o nível básico, dificilmente o mercado absorve pessoas apenas com esta capacitação. Uma formação de nível médio/técnico acaba sendo exigida”, diz a especialista da Firjan.

Profissões

Na pesquisa ‘Perspectivas Estruturais do Mercado de Trabalho na Industria Brasileira - 2020’ consta ainda as seguintes profissões: trabalhadores de tratamento de superfície de metais e compósitos; engenheiros de mobilidade; técnicos em mecatrônica; biotecnologistas; engenheiros ambientais e sanitários; e desenhistas técnicos em eletricidade, eletrônica e eletromecânica.

“Tais profissões são determinadas como centrais por fazerem parte de setores chaves da economia global e que são fortes em nosso país”, avalia o psicologo e diretor da Top Quality Recursos Humanos, Carlos Eduardo Pereira. O especialista em RH destaca ainda que o estudo corrobora a tendência da sociedade atual em buscar a especialização. “Afinal o conhecimento se expande e se torna cada vez mais complexo”, acrescenta Carlos Pereira.

Engenheiro de petróleo e gás é o segundo no ranking de oportunidadesDivulgação

Mão de obra especializada

Diretor da Sixmind Consultoria Empresarial e especialista em gestão de pessoas, Maurício Seixo revela que não chega a surpreender o resultado da pesquisa. “Já é conhecida a necessidade cada vez maior de mão de obra especializada nas áreas de petróleo e derivados, biotecnologia, informação e infraestrutura, como transportes de cargas e de pessoas”, comenta Seixo.

Psicologo e diretor da Top Quality Recursos Humanos, Carlos Eduardo Pereira destaca a engenharia de mobilidade como uma das profissões que tende a assumir cada vez mais posições de destaque. “Estamos em cheque pela escolha errada voltada às rodovias e tais profissionais são responsáveis pela adaptação do país às novas demandas”, argumenta.

Especialista em carreira e professora do Ibmec, Janaína Ferreira afirma que os biotecnologistas e os engenheiros ambientais e sanitários terão muitas chances no mercado de trabalho. “Podemos acrescentar também o engenheiro de petróleo. Entretanto, são áreas que precisam de constante atualização. Isso vale até para quem está no mercado há mais tempo, já que os jovens estão cada vez mais buscando qualificação”, conta a especialista em carreiras.

Você pode gostar