Um site para quem ama a natureza chamar de ‘seu’

Página reúne informações sobre Unidades de Conservação do Brasil e usuários têm a possibilidade de criar conteúdo

Por O Dia

Rio - O lema ‘conhecer para conservar’, famoso entre aqueles que lutam pela preservação do meio ambiente no Brasil, ganhou uma nova versão nos últimos meses. Criado em abril, o site WikiParques (www.wikiparques.org) convida a todos a ‘colaborar para conservar’ as áreas protegidas e Parques Nacionais espalhados pelo país. Parceria da Associação O Eco com a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, o projeto ganhou destaque no Congresso Mundial de Parques, realizado na Austrália entre os dias 12 e 17.

O WikiParques é uma plataforma interativa, adaptada da Wikipédia, para reunir informações sobre as Unidades de Conservação (UCs) do país. O site disponibiliza informações gratuitas sobre os locais: atrações, mapas, histórico, além de informações sobre a biodiversidade. Porém, seu grande diferencial é permitir e estimular a participação de qualquer um na criação do conteúdo, que pode ser editado, complementado e compartilhado em redes sociais.

Conhecido por suas praias%2C piscinas naturais e biodiversidade%2C o Parque Nacional Marinho Fernando de Noronha foi criado há 26 anosHaroldo Palo / Agência O Dia

Também é possível adicionar novas unidades de conservação, com a inclusão de verbetes e fotos, e debater nos fóruns da plataforma.

“Nosso interesse maior é que a sociedade civil se aproprie das áreas de preservação e, a partir do site, passe a colaborar com a proteção dos parques”, afirma Marion Bartolamei, coordenadora de áreas protegidas da Fundação Grupo Boticário.

O objetivo vem sendo alcançado. Somente nos seis primeiros meses de operação, os quase 200 verbetes do WikiParques receberam 3.891 edições dos 596 usuários cadastrados. Já há mais de 50 mil visitas ao site.

O Parque Nacional da Chapada dos Guimarães%2C no Mato Grosso%2C tem diferentes espécies do Cerrado Haroldo Palo / Agência O Dia

“Com cada vez mais pessoas abraçando a causa da proteção dos biomas, nos tornamos capazes de fortalecer o Sistema Nacional de Unidades de Conservação”, diz Marion, em referência ao programa do governo federal, que aglutina todas as áreas protegidas do país.

As expectativas dos organizadores são ainda maiores após a participação no Congresso Mundial de Parques. “Esse evento nos ajuda a profissionalizar a gestão de áreas naturais protegidas e amplia seus benefícios”, diz Malu Nunes, diretora executiva da fundação.

O Parque Nacional do Iguaçu%2C em Foz (PR)%2C é famoso pelas cataratas Haroldo Palo / Agência O Dia

Mais parques serão abertos

O Brasil tem hoje 45 UCs abertas à visitação pública, segundo o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Em 2013, elas receberam 6,3 milhões de visitas. Destas, 5,9 milhões ocorreram nos parques nacionais que, ao todo, são 69 no Brasil. O Ministério do Meio Ambiente tem como meta abrir todos para visitação até 2020.

Um dos entrave à abertura diz respeito às características de certas UCs. “Há diversas categorias de UC e algumas delas, como as estações ecológicas e as reservas biológicas, não são abertas à visitação do público em geral como forma de elevar o grau de preservação”, aponta Marion Bartolamei.

Porém, a maior parte dos parques tem condições legais para receber visitantes. Nesses casos, a falta de infraestrutura é o principal obstáculo para que os locais passem a receber pessoas interessadas em se divertir e conhecer sua biodiversidade.

“Para ser aberto ao público, o parque precisa cumprir uma série de pré-requisitos, como ter equipes médicas para atender os visitantes, por exemplo”, comenta Marion.

A coordenadora acredita que o WikiParques tem como contribuir para resolver o problema. “Fortalecendo os parques através da participação do público no site, criamos base para que as UCs se capacitem cada vez mais”.

Últimas de _legado_Notícia