Por fabio.nascimento
Marriot cresceu 8% em 2013Fred Dufour / AFP

A Marriott International Inc., a segunda maior rede hoteleira de capital aberto, disse que a expansão para novos mercados na África e uma recuperação econômica global poderiam gerar um aumento de até 10% na receita deste ano.

“Observaríamos um crescimento da receita dos hotéis existentes de 4% a 6% e um acréscimo de 4% a 5% para os hotéis novos”, disse o CEO Arne Sorenson ontem, em entrevista da Cidade do Cabo. “Combinando ambos, obtêm-se um crescimento da receita na faixa de 10%”.

A proprietária de marcas como Ritz-Carlton e Renaissance está se beneficiando com um aumento nas viagens a negócios e a lazer no mundo inteiro à medida que a economia global melhora. O número de viagens individuais transfronteiriças poderia aumentar de 1,1 bilhão em 2013 para 2 bilhões até o fim da década, segundo Sorenson. A receita da Marriott aumentou 8%, para US$ 12,8 bilhões, em 2013.

“É tanto a florescente classe média no mundo inteiro quanto as economias em crescimento”, disse Sorenson. “Nos EUA, por exemplo, continuamos a observar um crescimento do PIB na faixa de 2% a 3%, de modo geral. A Europa está mais forte agora do que esteve em muitos anos; embora longe de estar robusta, está firmemente positiva neste momento”.

A Marriott está reforçando sua presença na África e no Oriente Médio após a aquisição da Protea Hospitality Holdings, com sede na Cidade do Cabo, por cerca de US$ 200 milhões, em abril. A companhia com sede em Bethesda, Maryland, abrirá até 50 hotéis novos na região nos próximos três anos, disse Alex Kyriakidis, presidente da rede para o Oriente Médio e a África, na mesma entrevista. Isso fara com que o total supere 200 unidades.

“Hoje temos 45” hotéis novos na carteira, disse Kyriakidis. “Provavelmente adicionemos vários outros nos próximos dois ou três anos. Alguns deles serão construções. Outros serão conversões”.

A Hilton Worldwide Holdings Inc., a maior rede hoteleira, a Radisson Hotels International Inc. e o InterContinental Hotels Group Plc também estão se expandindo na África para aproveitar o boom das viagens a negócios e as economias que estão crescendo mais rapidamente do que seus mercados domésticos. Como parte da sua estratégia de crescimento, a Marriott entrará em sete países africanos, incluindo Etiópia e Gana, e investirá cerca de US$ 3 bilhões em construções novas junto com desenvolvedores.

Preocupações com a segurança no Quênia e na Nigéria, desencadeadas por uma série de atentados fatais com bombas cometidos por islamitas rebeldes, não dissuadirão a Marriott de realizar mais investimentos nesses países, pois a companhia está planejando para o longo prazo, disse Sorenson.

“Muitos dos viajantes de longa distância que vêm à Nigéria estão a negócios”, disse ele. “Em certos aspectos, eles serão menos sensíveis a questões de segurança do que um turista. Grande parte do turismo na Nigéria deve-se aos nigerianos que moram no exterior”.

Você pode gostar