Por karilayn.areias
Publicado 21/03/2015 21:54 | Atualizado 21/03/2015 22:00

Rio - Apagar as luzes de casa para acender o sinal de alerta quanto ao futuro da vida humana na Terra. A Hora do Planeta, evento organizado em todo o mundo pela ONG WWF, que será realizado no próximo sábado, tem este objetivo. A ideia é promover a consciência ambiental através de uma ação tão simples quanto apertar um interruptor e que pretende envolver 1 bilhão de pessoas em mais de 150 países.

Os Arcos da Lapa estão entre os monumentos do Rio de Janeiro que ficarão apagados. A imagem acima foi da edição de 2013 do eventoJoão Laet / Agência O Dia

Para este ano, o Rio de Janeiro será uma das cidades-âncora do movimento, que pede ao público que mantenha suas luzes apagadas das 20h30 às 21h30. De acordo com o superintendente de conservação da WWF Brasil, Mauro Armelin, as crises energética e hídrica enfrentadas no ano passado colocaram o país no centro do debate sobre questões climáticas. “Nossa matriz sempre foi baseada em hidrelétricas, mais limpas. A falta de chuvas fez aumentar o uso de energia térmica, que lança gases do efeito estufa na atmosfera”, diz ele.

Já os problemas de abastecimento de água no Sudeste apontam, segundo Armelin, o caminho que o país precisa tomar se pretende evitar um colapso ambiental nos próximos anos. “Ao usar a reserva técnica em São Paulo, podemos estar usando a água que seria para 2015, 2016. É preciso fazer diferente e a Hora do Planeta é o momento de todos refletirmos sobre isso”, afirma.

A Praia de Ipanema vai receber um show sustentável às 16h e marcos da cidade, como o Bondinho do Pão de Açúcar, permanecerão apagados durante a Hora do Planeta. Iniciado em 2007, em Sydney, Austrália, o evento se espalha hoje por mais de 7 mil cidades. No Brasil, além do Rio, outros 107 municípios, sendo 17 capitais, participam da ação.

Show sustentável em Ipanema

Celebrando a Hora do Planeta, o grande show que acontece sábado na praia de Ipanema não poderia perder de vista a questão ambiental. Por isso, o evento, que terá as participações do coletivo internacional ‘Playing for Change’ e do bandolinista Hamilton de Holanda, será sustentável.

Toda a energia utilizada para iluminar o palco virá de um gerador de biocombustível. Além disso, serão instalados banheiros químicos e todo o lixo será recolhido. O público deve receber sacolas plásticas biodegradáveis para não deixar nada na areia. “É difícil, mas a nossa meta é ter resíduo zero nesse show. Contamos com a colaboração de todos para isso”, diz Mauro Armelin, da WWF Brasil.

As apresentações musicais estão previstas para começar às 16h e o palco vai ser montado na altura do posto 10, próximo às ruas Aníbal de Mendonça e Garcia d’Ávila.

Petição online pressiona por proteção de nascentes

A WWF Brasil também lançou esta semana uma petição online que solicita tanto aos governos federal quanto aos estaduais que elaborem planos de preservação das nascentes e rios do país.

“A crise hídrica em São Paulo nos mostrou que garantir a regeneração natural de nascentes e mananciais é algo urgente”, diz Mauro Armelin, superintendente de conservação da ONG.

A petição pode ser assinada pelo interessados até agosto, que é o mês em que ocorre o ‘Overshoot Day’ (‘Dia da Sobrecarga da Terra’), conta Armelin. “É o dia em que a Terra entra no ‘cheque especial’, ou seja, quando o consumo de recursos naturais pelo homem se torna superior ao que o planeta é capaz de recuperar de forma nautral”, explica. O abaixo-assinado pode ser acessado no endereço bit.ly/PeticaoNascentesBrasil.

Você pode gostar