Por bferreira

Rio - “O sonho é meu e eu sonho que...
Deve ter alamedas verdes
A cidade dos meus amores
E quem dera os moradores
E o prefeito e os varredores
E os pintores e vendedores
As senhoras e os senhores
E os guardas e os inspetores
Fossem somente crianças...”

Impossível não lembrar da canção ‘A Cidade Ideal’, do eterno musical ‘Os Saltimbancos’, de Chico Buarque: para reconhecer os municípios que tratam os pequeninos como eles merecem, foi lançado este mês o Prêmio Cidade da Criança — do Projeto Prioridade Absoluta, do Instituto Alana, em parceria com o Programa Cidades Sustentáveis.

Para um município ganhar, é preciso que o governo local garanta às crianças uma vida saudável e com acesso a todos os seus direitos, como escola, saúde e moradia. Além disso, os parques públicos devem estar em excelentes condições e, claro, é fundamental haver segurança para a galerinha.

O prêmio vai avaliar a atuação das gestões dos municípios signatários do Programa Cidades Sustentáveis e é aberto também para todas as cidades que ainda não fazem parte, mas que queiram participar. Serão aproximadamente 60 indicadores básicos e 25 relativos aos direitos fundamentais da criança, como cultura, educação, saúde e proteção integral.

“O Prêmio visa sensibilizar e estimular os gestores municipais a adotarem boas práticas e iniciativas específicas e concretas para a efetivação dos direitos da criança com prioridade absoluta, conforme obrigação prevista no artigo 227 da Constituição Federal”, diz Pedro Hartung, advogado do Instituto Alana. Os resultados serão anunciados em agosto de 2016.

EXPOSIÇÃO QUE ENSINA A SENTIR

De hoje até dia 21, estará no shopping RioSul, em Botafogo, o projeto ‘Ilumanidade: luz para cada vida, luz para toda vida’, que já passou por Natal, Salvador e Recife. Além de imagens, o circuito provoca sensações nos visitantes, para que compreendam a dimensão das desigualdades que afetam as crianças e sintam-se estimulados a atuar pelos diretos da infância. Quem for até lá poderá, por exemplo, segurar boneca com o peso de uma criança subnutrida ou se colocar no lugar de pequenos que precisam caminhar cerca de 6 km todos os dias para buscar água, muitas vezes imprópria. O projeto é do Unicef, em parceria com o Grupo Neoenergia. A entrada é gratuita.

Você pode gostar