Por parroyo

O Ibovespa opera em forte alta nesta quarta-feira impulsionado pelas ações da Vale e dos bancos. Por volta das 12h30, o principal índice da Bovespa subia 2,28%, aos 54.020 pontos. Contribui para o movimento comprador o enfraquecimento do rumor de que a nota de crédito do Brasil poderia ser cortada em julho.

À frente dos ganhos, Vale PN tinha alta de 5,96%. A mineradora pretende vender seu projeto de potássio Rio Colorado, na Argentina. A conversa com investidores está adiantada e o negócio pode ser firmado em outubro. As ações preferenciais da Petrobras, por sua vez, valorizavam 2,17%.

Os ativos dos bancos também se destacam entre as maiores altas. Branco do Brasil PN subia 3,55%, Itaú Unibanco PN tinha alta de 3,17% e Bradesco PN avançava 3,37%. Em meio à persistente alta da inflação, a expectativa é que a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC), a ser divulgada amanhã, sinalize a continuidade do aperto monetário. Hoje, a taxa básica de juros está em 13,75% ao ano.

Mesmo com o esforço do BC para controlar a alta dos preços, o IPCA, índice oficial de inflação, surpreendeu ao acelerar para 0,74% em maio, na comparação mensal, enquanto os analistas esperavam avanço 0,54%. Nos últimos 12 meses, a inflação acumula alta de 8,47% - o maior patamar desde dezembro de 2003.

Nos Estados Unidos, as bolsas operam no azul depois de cinco dias de queda, enquanto os investidores aguardam sinais do Federal Reserve (Fed) sobre a data em que a taxa de juros pode ser elevada. Por volta das 12h30, o Dow Jones avançava 1,09%.

No mercado de câmbio, o dólar recuava 0,23%, cotado a R$ 3,06 na venda.

Você pode gostar