Desafio na Vila Olímpica será evitar o desperdício

Óleo reciclado e materiais compostáveis são outros cuidados na alimentação

Por O Dia

Rio - Não são somente os atletas que vão encarar desafios durante a Olimpíada. A partir de hoje a Vila dos Atletas, na Barra da Tijuca, abre seus portões para as 207 delegações que vão participar dos Jogos. E garantir a alimentação dos 17.200 ‘moradores’, além dos 13 mil profissionais que vão circular por lá até o final das competições vai ser uma tarefa e tanto. Responsável por abastecer o restaurante da Vila, a Sapore garante que vai trabalhar com volumes estratégicos para que haja o mínimo de desperdício de alimentos.

O gerente de logística da empresa, André Durão, explica que, o volume de alimentos que chega para abastecer o restaurante é calculado para atender à quantidade de pessoas que estão na Vila. “Trabalhamos com redução de sobras e teremos no restaurante alimentos ‘curinga’ para repor alguns pratos que tenham maior saída e acabem rápido”, diz ele.

A grande preocupação é com a sustentabilidade. De acordo com a Rio 2016, pratos e copos serão compostáveis — produtos biodegradáveis ricos em nutrientes que são liberados em solo — e a limpeza do restaurante será ‘a seco’, o que garante o mínimo de uso de água. Serão seis contêineres de compostáveis, o que evita o uso de materiais plásticos.

Um grande volume de alimentos vai abastecer a Vila OlímpicaMaíra Coelho / Agência O Dia

Diretor de alimentos e bebidas, Marcello Cordeiro conta que pratos e copos serão compostáveis feitos de fibra de milho. “Parece papel, mas é feito com composto natural e pode descartar no lixo comum”, detalha. Já na cozinha ele vai contar com 2.700 pessoas trabalhando no restaurante sendo 700 exclusivas para limpeza. Além das lixeiras, que terão a divisória para recicláveis e não-recicláveis, o óleo de cozinha será todo coletado pelo programa Prove, do governo do estado, e destinado a cooperativas que vendem para a fabricação de sabão ou biodiesel.

Em números gerais, serão 11,5 milhões de guardanapos, 8 milhões de pratos compostáveis, 120 toneladas de frutas, 30 toneladas de folhagens, 100 mil pães, 3 mil pizzas, incluindo as sem glúten e integrais, e 700 mil doses de café.

Clique aqui e veja o infográfico completoArte O Dia

Diariamente, serão 200 toneladas de comida para atender a 70 mil refeições diárias quando iniciarem os dias de maior fluxo, que, segundo Durão, vão acontecer no período de 12 a 19 de agosto.

Serão sete praças no restaurante principal: a Cold Station, de comidas frias, cruas e leves, Pizza & Pasta, Brasil, World Food, comidas do mundo, Ásia, além das cozinhas especiais judaica, que é a Kosher e a islâmica, com a Halal. Produtos específicos, como o coreano Kimchi, também presente em diversas outras culturas, vai fazer parte do cardápio. Serão 7,5 toneladas do alimento, que é uma espécie de acelga.

Jerry Tkotz, gerente geral da Log Frio, empresa de logística para transporte e armazenamento dos alimentos que já estão abastecendo o restaurante da Vila dos Atletas, garante que seus caminhões, que saem diariamente rumo à Vila, são capazes de conservar os alimentos mesmo em longas viagens. A empresa também atuou na Copa do Mundo do Brasil. Para o presidente da Log Frio, Alfredo Gonçalvez, que participa de perto de todas as movimentações de seu armazém, é um prazer poder participar de um evento tão grande como este.

Últimas de _legado_Notícia