Por bianca.lobianco

Desde o último dia 30 a vida do ator Leonardo Vieira se transformou. Fotos publicadas em um site mostraram Leo aos beijos com outro homem na saída de uma festa. Desde então suas redes sociais foram alvo de comentários homofóbicos. ‘Gayzão’, ‘Doeu?’, ‘Porco’, Lixo’ e por aí vai.

Leonardo ainda não se pronunciou sobre o episódio e tem consultado seus advogados afim de saber como proceder em relação aos ataques .

O ator reagiu de maneira natural após a publicação no site, afinal de contas não estava fazendo nada de errado. Revolta maior foi constatar a reação homofóbica e preconceituosa das pessoas na internet.

Ataques racistas como os noticiados ultimamente contra a filha de Bruno Gagliasso ganharam repercussão nacional e viraram caso de polícia. Até porque racismo é crime. Homofobia, não. Segundo a lei brasileira, racismo é um crime inafiançável e com pena de reclusão de três anos ou multa.

No caso de Leo Vieira, ele foi vítima apenas de injúria, segundo a branda lei nacional para estes casos. Um projeto para tornar homofobia crime acabou sendo arquivado no Senado Federal Brasileiro em 2015. A coluna pergunta: até quando as pessoas vão continuar a atacar outras por ser como elas são ?
Você pode gostar