Rogério de Andrade: 'A Mocidade lamenta que as regras não sejam cumpridas'

Presidente da agremiação foi contra a decisão da Liesa em não rebaixar nenhuma escola de samba neste carnaval.

Por O Dia

O presidente de honra da Mocidade, Rogério Andrade, conversou com a coluna, nesta quarta-feira, 1º, após a decisão da Liesa em não rebaixar nenhuma escola de samba por causa dos acidentes na Sapucaí envolvendo a Unidos da Tijuca e o Paraíso do Tuiuti.

"A Mocidade lamenta que as regras não sejam cumpridas. Mesmo com 32 pessoas machucadas, ninguém será punido. Se fosse ao contrário, a Mocidade seria rebaixada. A Liesa está premiando a desorganização", disparou.

. Leia também: Liesa faz reunião de última hora e decide não rebaixar nenhuma escola de samba

O dirigente ressaltou ainda que houve um incidente na Mocidade durante o desfile, mas sem feridos: "A escola vai arcar com suas responsabilidades, pois os integrantes e o público são os mais importantes. Lamentamos que somente a Mocidade tenha sido contra a esse episódio protecionista. No carnaval tem que haver independência e as regras são para serem cumpridas."

Rogério de AndradeAndré Mourão / Agência O Dia