Priscila Pires e Bruno Andrade falam pela primeira vez sobre caso polêmico

Acompanhe aqui as duas versões sobre a denúncia de abuso sexual envolvendo os filhos do ex-casal, que está dividindo opiniões em todo o Brasil.

Por O Dia

Priscila Pires e Bruno AndradeArte%3A O Dia Online


Em agosto do ano passado, a coluna noticiou o suposto abuso cometido pelo namorado da ex-BBB Priscila Pires contra os dois enteados, de 3 e 4 anos. O caso, que foi parar na delagacia, agora vai ser apreciado pelo Ministério Público. E, pela primeira vez, tanto Priscila quanto Bruno Andrade, pai das crianças, resolveram falar sobre o caso, que corre em segredo de Justiça. A coluna, que não está aqui para julgar nenhum dos dois lados, publica hoje duas entrevistas: uma com Priscila e outra com Bruno. Confira. 

PRISCILA PIRES

Por que todo esse processo?
Tudo com o objetivo de tirar as crianças de mim. Eles têm uma obsessão com isso. No começo, eu achava que eles amavam demais os meninos e por isso estavam fazendo essas coisas... Mas hoje eu acho que não é amor. Sempre fiquei quieta. Vocês já me procuraram e eu não quis falar porque meus filhos vão crescer, entrar no Google e ver esses absurdos que o pai deles vem fazendo.

Vocês não conseguem ter uma relação saudável?
A gente podia ter uma relação super legal e criar os meninos de uma forma muito legal... Eu nunca neguei nada. Sempre deixei eles fazerem o que quisessem com os meninos. Não tinha necessidade de fazer isso só porque eu comecei a me relacionar e meu relacionamento deu certo. Aí você vai lá e vai e faz toda essa maldade tentando acabar com a vida dessa mulher? Tenho um acordo feito na separação para a gente tentar uma relação harmoniosa com as crianças. Ano passado nós dividimos as férias escolares das crianças. Ele pegou os meninos e não devolveu! Tive que fazer um boletim de ocorrência!

Você se sente sozinha?
Às vezes a gente se sente sozinha, sabe? Minha mãe e meu pai já são falecidos, mas eu tenho família sim. Depois que eu me manifestei, tenho o Brasil todo me apoiando. Eu não sou sozinha!

Não há nada de verdade nas acusações do pai?
Se isso fosse verdade, as crianças já não estariam mais comigo. Essa semana, ele perdeu na Justiça de novo um agravo em que eles pediam a guarda das crianças. O juiz sempre negou. E mesmo assim eu sou a errada? Alguma coisa está esquisito!

Você tem medo?
Eu estou com medo e procurando a proteção da polícia. A gente vê e lê muitos casos na internet e eu tenho que me preocupar mesmo. Aquela louca (a ex-cunhada) que fez o vídeo já até matou uma pessoa. Mas eu não vou deixar de lutar.

BRUNO ANDRADE

Baseado em que você denunciou o atual namorado da Priscila Pires?
Eu ouvi relato dos meus filhos, apelos deles com relação ao que estava acontecendo e eu tomei as medidas cabíveis. Como pai, tenho o direito de defender meus filhos e o dever. Nós levamos os meninos ao Conselho Tutelar e eles foram submetidos a psicólogos e encaminhados para a delegacia especializada, a DPCA. Foi aberto uma investigação correta e coerente. Qualquer dúvida tem que ser perguntada ao delegado que cuida disso há oito meses. Foram oito meses de sofrimento que nós passamos com isso. Todas as provas, o vídeo... Tudo foi periciado. Todas as oitivas foram feitas de acordo com o que a Justiça manda. Não existem acusações minhas ou trocas de farpas. Existem fatos relatados pelos meus filhos, que são duas crianças. Na minha função de pai, levei às autoridades competentes e elas estão cuidado do caso.

O que tem nesse vídeo?
O conteúdo do vídeo está em segredo de Justiça, mas acho que ele é muito constrangedor. Essas provas estão na Justiça. É uma situação chata, mas os meus filhos já foram ouvidos várias vezes.

Mas você tem algum problema com a Priscila?
A vida pessoal dela só diz respeito a ela. Ela pode se relacionar com quem bem entender. Isso não me afeta. Tenho preocupação em proteger meus filhos. A partir do momento em que duas crianças pedem ajuda, é dever do pai e da mãe proteger. É meu dever proteger meus filhos. Agora... A quem ela está protegendo é problema dela.

Vocês conseguem conviver?
Não tenho convívio com ela para dizer como ela é como mãe. Tudo o que os meus filhos fazem com ela diz respeito a ela. Eu estou no intuito de proteger meus filhos. Só isso. Estou há oito meses defendendo os meu filhos num processo em que ela foi aconselhada, durante toda a investigação, a afastar esse homem dos meus filhos. É por isso que eu estou lutando.