Funcionárias querem mudança no código de ética e conduta da Globo

Grupos de mulheres se encontraram com a direção da empresa no último domingo, 2, para tratarem das denúncias de assédio sexual.

Por O Dia

A coluna teve acesso às reivindicações apresentadas por grupos de funcionárias que se encontraram com a direção da TV Globo no último domingo, 2, para tratar das denúncias de assédio sexual feitas por Susllem Meneguzzi Tonani ao departamento de Recursos Humanos da emissora durante a novela ‘A Lei do Amor’. Muito mais do que pedir uma punição a José Mayer, que aconteceria inevitavelmente, as manifestantes pediram mudança no código de conduta dos funcionários da emissora.

. Leia também: José Mayer divulga carta sobre assédio e admite: 'Eu errei'

“Cada mulher precisa saber como agir e a quem procurar. Tudo com o respaldo da emissora. Todas mulheres já sofreram algum tipo de assédio, moral ou sexual, mas precisam de uma grande empresa por trás para garantir que os direitos dela serão cumpridos”, disse uma das líderes do movimento.

Carlos Henrique Schroeder, diretor geral da Globo, em um e-mail enviado a todos os funcionários, respondeu nesta terça-feira, 4, a quatro perguntas e enfatizou: “Tudo o que tem sido discutido internamente, todas as dúvidas que têm sido tiradas, têm como base o Código de Ética e de Conduta do Grupo que prega esses valores desde sempre”.