'Trio elétrico no Carnaval é um problema grave', dispara Boni em entrevista

Ex-diretor da Globo é um dos novos conselheiros de Turismo do Rio de Janeiro, no governo de Marcelo Crivella.

Por O Dia

BoniDivulgação

Com muito orgulho, a coluna conversa neste domingo, 23, com José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni. O ex-diretor da Globo é um dos novos conselheiros de Turismo do Rio, ao lado de Roberto Medina, Paulo Protásio e Ricardo Amaral.

Na entrevista a seguir, Boni diz que o Sambódromo precisa ser melhor aproveitado ao longo do ano, fala que trio elétrico tocando funk em plena época de samba é um problema grave e diz que o Carnaval desastroso em todos os aspectos — desde os acidentes até o resultado final — não foi uma fatalidade.

O que, de fato, faz um conselheiro de turismo do Rio? O seu foco, acredito, será o Carnaval. Você acha que o desfile parou no tempo e é a mesmo espetáculo há 20 anos? 

O conselho de Turismo substitui a secretaria de Turismo, extinta pelo Prefeito Marcelo Crivella. O conselho trabalha em estreita ligação com o prefeito e com a Riotur. O foco, na realidade,é criar um calendário de turismo para o Rio que vá de janeiro a janeiro, começando já a partir de maio deste ano. O Carnaval se insere nesse calendário como um dos principais eventos do Rio ao lado do Réveillon e Rock in Rio. Mas outros virão.

Na entrevista que você deu à radio FM O DIA, você criticou a iluminação e a falta de tecnologia, como telões, para os espectadores na Sapucaí. O Rio tem dinheiro para modernizar a Sapucaí ou essa verba vai sair da iniciativa privada?
A situação financeira em que a prefeitura foi encontrada dificulta tudo. Mas a vocação do Rio é o turismo. E uma cidade maravilhosa como Rio está em 96º lugar no mundo. Inacreditável. Com investimentos em turismo, o Rio terá dinheiro para segurança, saúde e educação. Turismo é o negócio do Rio. Teremos que arranjar dinheiro para o Carnaval. E a Fundação Getúlio Vargas está fazendo um estudo financeiro sob encomenda do prefeito.

O ingresso pro Carnaval é caro. Com a modernização vai ficar mais inacessível ao povo?
O objetivo é obter dinheiro de outras fontes e não cobrar mais do público.

Anísio Abraão David, presidente de honra da Beija- Flor, chegou a sugerir que uma mudança do sambódromo para a Barra da Tijuca. O que você acha? 
O Sambódromo tem defeitos de concepção. Ficou bonito, mas foi feito às pressas ignorando diversas necessidades quando foi programado. Atualmente, não há dinheiro para essa mudança,mas se ajudarmos o turismo a vingar é claro que uma nova solução seria ideal. Por enquanto temos que melhorar esse e usá-lo mais para obter mais recursos para reformá-lo.

O último Carnaval foi trágico. Em vários sentidos. Desde o desfile em si até a apuração e o resultado. Há culpados por tudo o que aconteceu? Como a Riotur poderia evitar aquilo tudo? Ou foi uma fatalidade? 
Fatalidade nada. As coisas acontecem por um conjunto de fatores e sequência de erros. A necessidade de um engenheiro para dar o laudo de cada escola é indispensável. O aproveitamento de material por falta de dinheiro vai ao extremo e é perigoso. A concentração do lado da passarela superior obriga a uso de peças hidráulicas. Temos que encontrar soluçoes. Há gente demais passeando na pista. Tem que reduzir.

Houve uma certa dificuldade na venda de ingressos para o Carnaval do Rio. A crise é a única razão ?
A crise é apenas um dos problemas. A Liesa, quando pegou o Carnaval, deu novas e melhores condições para o Carnaval que era um desastre de organização. Agora é hora de um novo salto para salvar o espetáculo, mexendo com as coisas que você mesmo mencionou: som,luz,jurados,cabines de jurados,telões,intervalo entre as escolas e outros detalhes.

Os blocos de rua estão crescendo a cada dia na cidade. Quais são os prós e os contras disso? O Rio tem capacidade para mais blocos?
Os blocos são excelente diversão popular. Controlar esses desfiles será um desafio cada vez maior. Especialmente sob aspecto de segurança, já que vem aumentando o número de blocos clandestinos e mesmo o tamanho dos blocos autorizados.

Trio elétrico é típico do Carnaval de Salvador. O que acha de trios no Rio, com funk no Carnaval?
Trio elétrico no Carnaval é um problema grave. Nas ruas e até no sambódromo. Em alguns camarotes, o público fica de bunda para o desfile dançando funk. A reconquista do espaço do samba é um dever de todos que amam e respeitam o Carnaval.

O governo subsidia muito o Carnaval das escolas. A tendência é aumentar ou diminuir o dinheiro governamental nos desfiles? A iniciativa privada não teria como investir mais com incentivos fiscais? 
O subsídio é minimo. O dinheiro maior vem da televisão e dos ingressos. Na verdade, a prefeitura é a contratante do espetáculo e deveria pagar melhor pelo que recebe.

Ao longo do ano, o sambódromo mal é utilizado. Há como mudar isso? 
Já toquei nesse assunto. É necessário usar mais o sambódromo. E tem como.

O que o carioca pode esperar já para o próximo Carnaval?
No momento, quem está esperando sou eu. Não sei se dará para fazer tudo o que é necessário, mas alguma coisa a Riotur, Liesa e prefeitura têm que fazer.