‘Já criei um filho sozinha, posso sustentar o segundo’, diz Antônia Fontenelle

Ela recebeu um mandado de citação e intimação para uma audiência judicial sobre a pensão alimentícia de Salvatore, filho da atriz com o funkeiro Jonathan Costa, de nove meses.

Por O Dia

Na última terça-feira, 3, às 8h da manhã, uma oficial de Justiça bateu à porta da casa de Antônia Fontenelle, na Barra da Tijuca. Nas mãos, um mandado de citação e intimação para uma audiência judicial sobre a pensão alimentícia de Salvatore, filho da atriz com o funkeiro Jonathan Costa, de nove meses.

Na ação, Jonathan pede para pagar apenas dois salários mínimos ao filho, o que dá cerca de R$ 1.600 por mês. Para se ter uma ideia, a babá de Salvatore ganha R$ 2.400 por mês. No documento, Jonathan (que hoje vive com a mãe em um condomínio em frente à Praia da Barra) alega não ter renda e cita que Antonia está prestes a receber uma herança do diretor Marcos Paulo.

O documento caiu como uma bomba na casa de Antonia, que imaginava ter uma boa relação com o ex. Não havia um valor prévio estabelecido, o que existia entre o ex-casal, além de harmonia, era um acordo de cavalheiros em nome do bem-estar de uma criança. Agora, não há nem uma coisa, nem outra.

Leia abaixo a íntegra a conversa que tive com Antônia. Vinte minutos após o término da conversa, que eu acabei interrompendo de maneira abrupta, liguei novamente para a Antônia e perguntei se ela temia algo a partir desta história: “Sim, preparem-se para os discursos de falsos pastores que vêm por aí”.

 Existe um processo na Justiça movido por Jonathan Costa contra você na vara familiar. Eu querosaber se você quer falar. Se não, eu vou ter que publicar só isso. Vocês estão em uma briga judicial?

Não. Briga é quando os dois querem. Eu não quero brigar com ninguém.

Se existe um processo, existe uma briga. Por que ele está te processando?

Hoje eu acordei às oito da manhã com uma oficial de Justiça que bateu na minha porta. Para a minha surpresa o Jonathan entrou com um processo para estipular valor de pensão em R$ 1.600. Nunca pedi nada para ele! Falei para a oficial de Justiça que não iria assinar aquele papel. Eu não entrei com pedido de nada, eu não sei de nada. Você fala para o juiz ou juíza que te encaminhou que eu não vou assinar. Até porque, só a babá do meu filho são R$ 2.400. Eu não preciso dele para nada. Já criei um filho sozinha e posso sustentar o segundo, terceiro, quarto, quantos filhos eu quiser fazer. O que me magoou bastante nesse papel foi o valor de R$ 1.600. É uma afronta! Ele alega que foi morar com a mãe porque ele não tem condições de se bancar porque é produtor de baile funk. E o mais grave: ele alega que eu sou herdeira do Marcos Paulo.

 Jonathan fala o nome do Marcos Paulo no processo?

Fala o nome do Marcos Paulo no processo e eu posso fazer uma xerox e te mandar. Foi a parte que mais me afetou.

E você não ia contar isso para mim?

É porque é mais uma coisa para minha cabeça, entendeu? Eu perguntei para ele por que tem dois advogados se ele está morando com a mãe justamente porque não ter condições. Como é que paga os dois advogados? Ele respondeu que era coisa da mãe dele. Só que a mãe dele falou que não está sabendo de nada. Isso é coisa dele. Ficou um empurrando a culpa para o outro. Quando fui casar com o Jonathan, o (pai dele) Rômulo Costa bateu na minha porta e falou assim: eu não aconselho você a casar com o Jonathan porque não vai dar certo. Jonathan é a mãe dele de calças. Entenda como você quiser. O tempo passou, eu engravidei e a nossa relação acabou. Todo mundo sabe disso. Em seguida, ele falou que tinha que seguir a carreira dele.

Quanto o Jonathan ganha em JonJon O Baile?

 O cachê dele gira em torno de R$ 10 mil a R$ 15 mil.

Mas a patente do baile é sua, você que criou, certo?

 Não, porque eu não pretendo seguir carreira de DJ. Eu fiz de coração para que ele siga a carreira dele. Ele é um menino talentoso, por isso que eu fiz isso. Não foi porque eu sou boazinha não. É porque era o cara que eu amava, era meu marido, independente de qualquer coisa é o pai do meu filho e para sempre vai ser o pai do meu filho. Eu não te falei e nem ia falar para ninguém.

E você falou com eles depois que você recebeu esse processo?

Falei com ele. Ele jogou para a mãe dele e a mãe dele jogou de volta para ele.  

Ele não admitiu que foi ele que fez isso?  

Não, ele disse que sequer leu o que estava escrito ali, mas eu não acredito.

Você vai querer esses R$ 1.600, Antônia?

Não. Eu não quero absolutamente nada do Jonathan. Eu não preciso do Jonathan para nada e eu já falei isso para ele.

Você acha que ele tem medo de enfrentar uma prisão por falta de pagamento de pensão?

Eu não sei, porque ele já fez isso com a Vanessa, com a mãe da Maitê. Mas eu não vou falar da Maitê porque é um problema dele com a mãe dela. Eu quero falar de mim. Eu quero que você publique que eu não estou brigando com ninguém por causa de pensão.

Foi uma traição isso?  

O que é que você acha?

Eu quero que você me diga. O que você acha?  

Na medida que uma pessoa faz um troço desses sem avisar a outra... Ele pode entrar e sair da minha casa a hora que quiser! Isso é uma coisa vista nas redes sociais, entendeu?

E agora ele vai poder entrar e sair da sua casa a hora que ele quiser?

 Ele pediu para legalizar. Então agora ele vai legalizar isso aí porque na minha casa ele não entra mais a hora que ele quiser. Tudo tem limite. Eu não consigo ter raiva dele, mas eu lamento porque temos um filho em comum e isso é absolutamente desnecessário. O cara que viveu comigo dois anos sabe o que eu passo diariamente com esse espólio do Marcos Paulo... Alegar num processo que eu sou herdeira do Marcos Paulo? Estou muito triste com isso.

Antônia FontenelleReprodução