Promotor alvo de traficante

Passos do membro do Ministério Público foram seguidos por ordem de bandido. Tudo porque G Gatinho escapou de várias condenações, mas acabou punido

Por O Dia

Rio - Mesmo preso e condenado a 39 anos por matar parente de um PM e atentar contra a vida de outra pessoa, o traficante Jerônimo Rezende Teixeira, o G Gatinho — chefe do tráfico dos complexos da Viradouro e de Souza Soares, em Niterói, e integrante do Comando Vermelho (CV) —, arquitetava um plano contra a vida de um promotor de Justiça com atuação no 3º Tribunal do Júri daquele município.

Os passos do membro do Ministério Público foram seguidos por ordem do bandido. Tudo porque G Gatinho escapou de várias condenações, mas acabou punido em função de uma atuação firme do representante do MP.

E mais: o promotor descobriu que G Gatinho se comunicava da prisão com sua filha por uma rede social e mandou investigar o caso. A gota d’água para o criminoso foi quando o promotor opinou pela manutenção de um mandado de prisão contra a mulher dele, que está foragida. O MP tomou todas as medidas necessárias para garantir a segurança do promotor.