Desembargadores absolvem advogado que chamou juiz de 'prepotente e criminoso'

Marino D'Icarahy defendia acusados por associação criminosa armada em protestos de 2013

Por O Dia

Rio - Os desembargadores da 5ª Câmara Criminal absolveram, por dois votos a um, o advogado Marino D'Icarahy Júnior nesta quinta-feira. Ele foi denunciado pelo Ministério Público pelos crimes de injúria e calúnia.

 Defensor dos 23 acusados por associação criminosa armada em protestos no Rio, em junho de 2013, D'Icarahy escreveu em um recurso que o juiz Flávio Itabaiana de Oliveira Nicolau, da 27ª Vara Criminal, que julgava os manifestantes, tinha 'espírito carcereiro' e 'ideia fixa, muito característica de certas personalidades patológicas'.

De acordo com a ação penal ajuizada pelo promotor de Justiça Cláudio Calo, os crimes ocorreram em julho de 2014, no momento em que o advogado pedia habeas corpus para os presos Igor Pereira D'Icarahy, Elisa de Quadros Pinto Sanzi (“Sininho”), Camila Aparecida Rodrigues Jourdan e mais 20 pessoas.

 O advogado se valeu da transcrição de um trecho de doutrina de Direito Processual Penal para referir-se ao magistrado como 'juiz prepotente e criminoso'. "O mais importante é o reconhecimento da imunidade do advogado, como prevê o estatuto da Ordem", comemorou Luciano Bandeira, presidente da Comissão de Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ).