Poluição do metrô compensada

Transporte emitiu 1.053 toneladas de CO2 no Rock in Rio. Valor virou crédito em ações ambientais

Por O Dia

Rio - Chegar até a Cidade do Rock nunca foi tão sustentável como na edição do Rock in Rio deste ano, graças a uma parceria do MetrôRio com o Instituto Invepar que conseguiu, durante os sete dias de evento, compensar 1.053 toneladas de CO2 por meio de créditos de carbono. Esse projeto é revertido em ações de conservação da Floresta Amazônica, combinando manejo da vegetação sustentável e monitoramento da biodiversidade.

Transporte emitiu 1.053 toneladas de CO2 no Rock in Rio. Valor virou crédito em ações ambientaisArte%3A O Dia

Para realizar o plano, as empresas se uniram ao programa ambiental voluntário Amigo do Clima, que funciona como intermediador e gera créditos para empresas que buscam compensar suas emissões poluentes. Cada tonelada de carbono que uma empresa deixa de emitir é revertida em crédito de carbono do mesmo valor. No caso do metrô, o cálculo feito pela consultoria técnica da Waycarbon, detectou que 1.503 toneladas de CO2 seriam emitidas no transporte do público durante o evento.

"O metrô Rio comprou 1.503 créditos de carbono, neutralizando assim, o que foi emitido. Todo o processo visa a conservação da Floresta Amazônica", explicou o Coordenador do programa Rafael Carmo.

Com a capacidade para 1.800 passageiros, uma composição do metrô retira das ruas da cidade 22,5 ônibus municipais, ou, ainda, 900 carros (com duas pessoas), contribuindo significativamente para a redução da emissão de CO2 equivalente. A emissão por passageiro/km da operação do MetrôRio é três vezes menor que a dos ônibus e 35 vezes menor que a dos automóveis.

Cálculo

Para chegar ao valor de crédito de carbono, o metrô levanta os dados de emissão de CO2 diariamente. Esse número é multiplicado pelo fator de emissão oferecido pelo Ministério da Ciência e Tecnologia. A partir daí, esse dado passa por uma equação de potencial de aquecimento, onde se chega em um total emitido, que é convertido, em mesmo número, para o crédito de carbono.

A ONU dá uma chancela às empresas que geram crédito de carbono. Cada uma delas recebe um número, que é validado a partir de um código semelhante ao CPF. Esse crédito passa a hospedar um mercado online. No plano do MetrôRio junto com a Invepar, esses dados podem ser consultados no site www.amigodoclima.com, por meio do código de rastreamento AC17067. Lá, fica disponível todas as informações técnicas da compensação realizada, assim como documentos para baixar e certificados.

Plantio de 4 milhões de árvores

Engajamento ambiental foi o lema deste Rock in Rio. O Amazonia Live, iniciativa da organização do evento, lançou campanha para plantação de árvores na Floresta Amazônica. Pelo site, o público pôde contribuir, com pacotes em dinheiro, para o plantio de vegetação.

Uma árvore, por exemplo, tinha custo de R$ 5,60. O pacote de 100 árvores valia R$ 500. A organização contribuiu com um milhão de plantios e, com o apoio popular, tinha meta de chegar a quatro milhões.

Rock in Rio lançou campanha para plantio de árvoresDivulgação

Roberta Coelho, diretora de Novos Negócios do Rock In Rio, explicou que com o dinheiro da doação, foram compradas sementes das árvores da população ribeirinha. “As sementes de 80 espécies de árvores são misturadas com outras 20 espécies arbóreas. Quando germinam, as últimas crescem primeiro, gerando sombra para as outras que germinam logo depois".

Últimas de _legado_Notícia