Condenação de policial é mantida no TRF-2

Ex-vereador e ex-Secretário de Segurança Pública de Niterói é apontado como integrante da máfia do jogo ilegal

Por O Dia

Rio - O Tribunal Regional Federal 2 (TRF-2) manteve a condenação de nove anos e seis meses de reclusão do inspetor da Polícia Civil por 25 anos, ex-vereador e ex-Secretário de Segurança Pública de Niterói, Marival Gomes da Silva, por corrupção passiva e associação criminosa. Ele é apontado como integrante da máfia do jogo ilegal, desarticulada pela "Operação Furacão", deflagrada em 2007.

Na ocasião, gravações telefônicas, autorizadas pela Justiça, revelaram que Marival e o também policial civil Marcos Antônio da Silva Bretas, o Marcão, responsável por cooptar policiais corruptos e organizar o pagamento das propinas que cabiam a cada um, eram subordinados a Júlio César Guimarães Sobreira.

Por sua vez, Sobreira é sobrinho do 'capo' Aílton Guimarães Jorge, o Capitão Guimarães. O grupo é acusado ainda de ser aliado de Aniz Abrahão David, o Anísio, e Antônio Petrus Kalil, o Turcão, chefões do jogo do bicho. Foi confirmada ainda a perda do cargo de inspetor de Marival na Polícia Civil.

Viradouro

Marival também era ligado ao ex-presidente da Unidos do Viradouro, Marco Lira. Em 2012, eles foram acusados de ser integrantes de uma quadrilha que explora máquinas de caça-niqueis em Niterói, além de participar da morte do PM Carlos Elmir Pinto de Miranda.