Segurança para o motociclista

Acessórios específicos aumentam proteção para quem leva a vida sobre duas rodas

Por O Dia

A escolha de um bom capacete é fundamental, pois o motociclista passará horas com ele na cabeça
A escolha de um bom capacete é fundamental, pois o motociclista passará horas com ele na cabeça - Reprodução Internet

Transitar de motocicleta é algo prazeroso, mas que exige bastante atenção. Não é só com a fluidez do trânsito que o motociclista deve se preocupar. Há outros fatores que podem colocar a vida dele em risco: buracos na via, quedas ocasionadas por distração (muita gente perde o equilíbrio com a moto parada) e a perigosa linha da pipa, por exemplo. Para evitar tais acidentes, a Cesvi Brasil, que presta serviço de monitoramento no trânsito, lista alguns acessórios que podem aumentar a proteção dos condutores.

O protetor de pescoço é um acessório muito apropriado em época de férias, quando os meninos soltam bastante pipa, principalmente em bairros residenciais. Muitas linhas estão com cerol, que é uma mistura cortante de cola e vidro moído, capaz de ferir gravemente no contato com o pescoço de um motociclista em alta velocidade. Com o equipamento, confeccionado por fios de aço que impedem o corte feito pela linha com cerol, é possível evitar este perigoso risco.

Outro recurso, ainda contra as linhas com cerol, é a 'antena corta-pipa', que deve ser instalada na motocicleta, no guidão. O acessório corta a linha da pipa antes que ela atinja o motociclista.

No caso de uma queda, o protetor de perna, como diz o nome, protege esta parte do corpo. O equipamento basicamente é constituído por uma barra de ferro ou de alumínio, que fica instalado no chassi, nas partes laterais. Se houver acidente, o acessório impede que a moto caia sobre a perna.

Ainda considerando a hipótese de uma queda da moto, vale ressaltar que equipamentos mais comuns, como luva, capacete e um bom calçado, são indispensáveis para essa proteção.

BOM CAPACETE

Ao comprar um capacete, obedeça ao mesmo princípio de comprar uma roupa ou um sapato: a beleza é importante, mas a função do acessório deve vir em primeiro lugar. E, no caso deste, a proteção é a função primordial.

O motociclista, antes de mais nada, deve experimentar o capacete. Coloque o acessório na cabeça sem usar touca ou balaclava. Experimentando com touca, o capacete até pode dar a sensação de estar no tamanho adequado. Mas, ao reutilizar sem a touca (como em um dia de calor, por exemplo), o equipamento pode ficar folgado na cabeça.

Quando colocar, o motociclista deve observar se há algum incômodo, principalmente na região da testa. Segundo a Cesvi Brasil, a numeração dos capacetes não segue um padrão rígido: depende, na verdade, da marca do capacete. O mesmo número pode ser um pouco maior ou menor de uma marca para outra (como acontece com as roupas no comércio).

Por isso, o motociclista deve ficar com o capacete que o faça sentir confortável e seguro. Assim, evita dor de cabeça com ele, literalmente!

Galeria de Fotos

Última edição do Detran Presente, no Complexo da Maré, realizou 1.653 atendimentos Divulgação
Protetor de pescoço é importante em época de férias, quando motociclistas podem até morrer em contato com linha de pipa com cerol Reprodução Internet
A escolha de um bom capacete é fundamental, pois o motociclista passará horas com ele na cabeça Reprodução Internet
No detalhe, as barras do protetor de perna: em caso de queda, o peso da motocicleta não ficará sobre o motociclista. Protetor de pescoço é importante em época de férias, quando motociclistas podem até morrer em contato com linha de pipa com cerol FOTOS Reprodução Internet
Última edição do Detran Presente, no Complexo da Maré, realizou 1.653 atendimentos Divulgação
De janeiro até novembro, vendas financiadas de veículos totalizaram 4,6 milhões de unidades Agência O Dia

Comentários

Últimas de Automania