Fluzão enche os cofres

Diretoria conta com venda de jogadores e nova fornecedora para cobrir rombo

Por O Dia

Jogador
Jogador - Divulgação

Sem muito a comemorar no campo e com esperança de dias melhores no lado financeiro, o Fluminense completou 115 anos ontem, quando foram lançados os novos uniformes. Além disso, a diretoria vai encher os cofres pela venda de Wellington Silva para o Arsenal-ING, sem falar na provável negociação de Richarlison com o Ajax-HOL.

Ao receber o documento do Arsenal, fazendo valer a cláusula no contrato para recompra de Wellington Silva, o Tricolor liberou o atacante, que se despediu do elenco ontem. Ele viaja hoje à França para fazer exames no Bordeaux, para quem os ingleses vão cedê-lo. O Flu receberá R$ 14,6 milhões pela venda do jogador.

Se não bastasse a perda de Wellington, o Fluminense possivelmente ficará sem Richarlison, segundo o Globoesporte.com. Os representantes do atacante já estão negociando com o Ajax. O clube holandês fará proposta maior do que a de R$ 30 milhões que fez em janeiro.

A venda de jogadores já era esperada e servirá para diminuir o rombo no orçamento de 2017, previsto para ser de R$ 76 milhões, apesar de gerar críticas da torcida.

Novos uniformes

Além da venda de jogadores, o Flu aposta na nova parceria com a fornecedora de material esportivo Under Armour para arrecadar mais. Pelo contrato de três anos, o clube terá direito a 20% dos royalties por venda de peça. E o primeiro dia, ontem, foi animador.

Mesmo sem pompa, o lançamento dos novos uniformes do Flu levou centenas de torcedores à loja da fornecedora, no Shopping Rio Sul, onde compraram camisas que variam de R$ 199,90 (para crianças) a R$ 349,90.

Galeria de Fotos

Loja Under Armour Rio Sul - Lançamento da nova camisa do Fluminense. MAILSON SANTANA/FLUMINENSE F.C.
Flu aposta na venda de atletas, como Richarlison, e na nova camisa NELSON PEREZ/FLUMINENSE FC
Jogador Divulgação

Últimas de Esporte