COMO REMOVER MANCHAS DE TINTA

Especialistas dão orientações sobre medidas que devem ser tomadas pelo proprietário do veículo para evitar maiores prejuízos na lataria danificada

Por O Dia

Já ouviu aquela história de alguém que estacionou o carro em um local em reforma saiu de lá com respingos na lataria do automóvel? Especialistas garantem que é possível tomar algumas atitudes para retirar a mancha, evitando maiores prejuízos.

Os serviços mais apropriados são o polimento, o enceramento e a cristalização, que ainda protegem a pintura do automóvel. Essas aplicações conferem brilho, recuperando a aparência de novo. A escolha do método de reparo deve ser feito com a ajuda de um especialista.

Existem empresas no mercado especializadas nesse tipo de reparo. Segundo o Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi Brasil), todo trabalho de retoque de pintura deve ser executado por uma oficina capacitada para a atividade. Feito com o conhecimento técnico, é possível dispensar a repintura. O órgão ainda alerta para o fato de que algumas regiões do carro são mais suscetíveis para o reparo. Na dúvida, procure sempre auxílio profissional ou o fabricante.

Pesquise sobre a tinta

O primeiro passo, antes de agir, é saber sobre a tinta que está fixada na lataria do veículo. Se a substância for à base de água, como as látex, a remoção é bem fácil. Aplique um polidor sobre a mancha com um pano, algodão ou esponja. Massa de vidraçaria nova também pode ser usada para remover a tinta. Mas depois será necessário encerar o automóvel, porque a pintura costuma ficar embaçada com o processo. Pode até acontecer, com certa sorte, que com uma simples lavagem com água e sabão já deixe o veículo como novo. Mas o apropriado é utilizar xampu específico para automóveis. Em seguida, um bom polimento ou mesmo o uso de cera.

Carro zero

Segundo a ChipsAway, empresa especializada neste tipo de reparo, os respingos de tinta podem ser removidos com tiner se o veículo for zero quilômetro. Mas é preciso ter uma dose extra de atenção. O tiner é um solvente muito forte e pode estragar a pintura, se quem for aplicar não tiver experiência necessária para esse tipo de serviço. A melhor escolha, recomenda a ChipsAway, é procurar um profissional que faça tal serviço de remoção. Importante: o solvente não pode ser utilizado nos carros que já passaram por pinturas (foi repintado), porque existe o risco dela ser danificada ou retirada.

Tintas spray

Antes de sair aplicando qualquer processo de remoção de tinta spray , é bom testar o produto removedor escolhido num canto mais escondido do carro. Isso porque algumas dessas soluções são apresentadas especificamente como removedores de tinta spray. Mas é bom ter precaução, pois se trata de um agente químico que pode provocar reações na pintura. Se a mancha estiver nas janelas, o uso de acetona pode ser bem eficiente, além da limpeza ser fácil. Tiner, WD-40 e álcool isopropílico são recomendados, auxiliado por uma ponta plástica afiada, como um raspador de gelo ou uma espátula plástica, que podem vir a ser úteis nos pontos mais espessos de tinta. O aplicador deve ter atenção para não raspar muito, e acabar por entrar em contato com o acabamento do veículo.

Outras dicas

Existe uma pasta abrasiva, conhecida como massa roxa, que também é utilizada para remover respingos de tinta da lataria do carro. A pasta deve ser mergulhada num recipiente com água. Em seguida, deve ser passada em pedaços pequenos na lataria do veículo, retirando aos poucos a tinta respingada. No fim do processo, o carro deve ser encerado. Outra forma de remoção de tintas do veículo é usar querosene, mas o cheiro é forte e algumas pessoas ainda têm alergia. Por fim, existe ainda outra forma bem simples, apesar de lenta e trabalhosa, que é a utilização de massa de calafetar vidro. Neste caso, a massa deve ser nova ou estar em boas condições de uso, e o carro deve ser bem lavado antes do procedimento.

Últimas de Automania