Informação de que a prefeitura cogita trocar Teresa Bergher (PSDB) por Pedro Fernandes (PMDB) no comando da Secretaria de Assistência Social não foi bem digerida pelos três vereadores do PSDB

Por O Dia

Rio - A informação de que a prefeitura cogita trocar Teresa Bergher (PSDB) por Pedro Fernandes (PMDB) no comando da Secretaria de Assistência Social não foi bem digerida pelos três vereadores do PSDB. Não que o trio seja a favor da permanência de Teresa, com quem tem trocado farpas. O grupo pleiteia a saída da correligionária, mas defende que algum integrante da bancada tucana assuma a pasta.

“A secretaria contempla o PSDB. Se tirar a Teresa, tem que botar alguém do partido. A não ser que a aliança seja desfeita”, afirma Felipe Michel, líder da bancada. O impasse ocorre às vésperas da votação do IPTU na Câmara, tida pelo prefeito Marcelo Crivella (PRB) como a mais importante do ano. 

Vereadores unidos
Arraes, Felipe Michel e Adalmir pretendem conversar hoje com Crivella.

Os dois lados
A favor de Teresa, o fato de ser vista como peça importante na aproximação do prefeito com a elite e com os eleitores da Zona Sul, onde ele enfrenta mais resistência. E de ela ser, reconhecidamente, uma vereadora que dá dor de cabeça quando está na oposição. O fato é que tanto Teresa quanto Arraes dizem que, se estiverem na Câmara, votarão contra o governo no reajuste do IPTU.

Questão de emenda
Já Rosa Fernandes (PMDB), mãe de Pedro Fernandes, afirma que a possível troca não influenciará em como votará: “Podem dar o cargo que for. Se minhas emendas não forem aceitas, votarei contra”. Ontem, Rosa negociava com o líder do governo, Paulo Messina (Pros), isenção para proprietários de imóveis com até R$ 50 mil em valor venal (cerca de R$ 300 mil em valor de mercado). 

Fazendo as contas
Dos 32 vereadores que apoiaram o governo na 1ª votação, quase uma dezena diz agora que mudou de lado. Crivella precisa de 26 votos para aprovar o reajuste na 2ª discussão. Hoje, não sabe se os tem.

Agora é oficial
Como o Informe antecipou ontem, a votação decisiva não ocorrerá mais esta semana. Ficou prevista para semana que vem. E, isso, se não demorar ainda mais para ocorrer. São centenas de emendas a serem analisadas.

Conta de luz aumenta
Presidente do Conselho de Energia Elétrica da Firjan e diretor do Conselho Mundial de Energia, Sérgio Malta critica a decisão do governo federal de privatizar a Eletrobras para fazer caixa. “É como vender a casa para conseguir comprar móveis. Vai gerar um retorno rápido, mas, ao longo dos anos, isso será refletido no aumento da conta de luz para a sociedade. Estudos mostram acréscimo de até 17%.”

Últimas de _legado_Notícia