Vaquinha online pretende arrecadar US$ 1 bilhão, a fim de adquirir ações da rede

Por O Dia

Rio - Ex-espiã da Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA), Valerie Plame Wilson está promovendo um ‘crowdfunding’, uma vaquinha online, para levantar verba a fim de comprar o Twitter e banir o presidente Donald Trump da rede social. O argumento é que, “se os executivos do Twitter não tiram do ar a violência e o ódio de Trump, depende de nós”, segundo a página.

Ex-espiã%2C Valerie Plame considera tuítes de Donald Trump nocivosReprodução

As ações do Twitter valem, na bolsa, US$ 6 bilhões, mas a meta é angariar US$ 1 bilhão, o que daria para comprar parte das ações da empresa e propor o banimento do @realDonaldTrump.

Até ontem, haviam sido doados US$ 30 mil. A vaquinha criada na plataforma GoFundMe alega que os tuítes de Trump “prejudicam o país e colocam a população em perigo”. A ex-agente destaca as ameaças em relação a uma guerra nuclear contra a Coreia do Norte. “Com um único tuíte, ele pode prejudicar relações internacionais e alianças, espalhar notícias falsas, encorajar supremacistas brancos a marchar pelas ruas ou provocar altas e baixas em bolsas de valores”, afirma a organizadora da empreitada.

Em nota, a secretária de imprensa da Casa Branca, Sarah Huckabee, disse que o apoio reduzido à vaquinha mostra que “o povo americano gosta do uso que o presidente faz do Twitter”. “A tentativa ridícula de censurar a liberdade de expressão é a única expressão de ódio e intolerância nesta equação”, disse Sarah, em nota.

Últimas de _legado_Notícia