01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

Zezé: 'Não houve ditadura no Brasil'

Em entrevista a Leda Nagle, cantor afirma que regime foi um 'militarismo vigiado' que não 'chegou a ser tão violento'

Por O Dia

Em entrevista à jornalista Leda Nagle publicada em seu canal do YouTube segunda-feira, Zezé di Camargo falou sobre sua carreira, a vida pessoal e sobre política. O cantor chegou a falar que não houve ditadura no Brasil, o que gerou repercussão nas redes sociais.

Zezé começa dizendo que se considera "muito politizado", mas que nunca seguiria carreira política por não ter vocação. "Já tive convite para isso, já conversei com alguns políticos, e eles ficaram impressionados com meu conhecimento político do Brasil, mas não tenho vocação para ser. Quero ser politizado para exercer meus direitos e deveres como cidadão, mas não penso isso como profissão", disse.

A jornalista questionou como o artista vê o momento político brasileiro. "Vou falar um absurdo para você, as pessoas vão me criticar, jornalistas vão falar de mim, achar que sou maluco. O Brasil lutou muito pela democracia. Eu fico com pena de como nossos políticos usaram aquela liberdade que conquistamos ao sair do militarismo, e muita gente confunde com ditadura. Todo mundo falava que vivíamos em uma ditadura, mas nós não vivíamos em uma ditadura, vivíamos no militarismo vigiado. Ditadura é Venezuela, Cuba, Hungria, Coreia do Norte, China, até o Chile com Pinochet. O Brasil nunca chegou a ser uma ditadura", falou Zezé.

A jornalista discorda. "Nós tivemos muita gente presa, vários confrontos, tortura", ao que Zezé responde: "Mas não chegou a ser tão violenta, tão sangrenta. Eu não quero jamais isso para o Brasil, mas eu acredito que, hoje, o Brasil precisa passar por uma depuração, até pensar no militarismo para reorganizar as coisas. Aí eles vão entregar de novo, 'pronto, limpamos a corja aqui'. Acho que o Brasil precisava passar por uma depuração dessa", disse.