01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

Lula chama Palocci de mentiroso e calculista

Ex-presidente fala a Sérgio Moro pela segunda vez como réu e nega acusações

Por O Dia

No segundo depoimento perante o juiz Sergio Moro, ontem, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que Antonio Palocci mentiu à Justiça. Para Lula, o ex-ministro queria conseguir os benefícios de uma delação premiada. Apesar disso, garantiu ter ficado com pena de Palocci.

Ao iniciar o depoimento, Lula destacou que, "apesar de entender que o processo é ilegítimo e injusto", pretendia falar. "Talvez eu seja a pessoa que mais queira a verdade", afirmou. "Eu vi o Palocci mentir aqui", disse Lula, acrescentando que viu atentamente o depoimento do ex-ministro, que classificou como "cinematográfico" e que parecia ter sido escrito por um roteirista.

"'Você vai dizer tal coisa, os lides (no jornalismo, a primeira parte de uma notícia) são esses', preparam alguns lides para dizer, e o Palocci, se não fosse um ser humano, ele seria um simulador. O Palocci é tão esperto que ele é capaz de simular uma mentira mais verdadeira que a verdade. Ele é médico, é calculista, é frio. Nada é verdadeiro. A única coisa que tem verdade ali é ele dizer que está fazendo a delação porque ele quer os benefícios da delação ou um pouco do dinheiro dele que vocês bloquearam", atacou Lula.

O ex-presidente responde a processo pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo a denúncia, a empreiteira Odebrecht comprou um terreno para a construção de nova sede para o Instituto Lula. Segundo o Ministério Público Federal, a Odebrecht pagou R$ 12,4 milhões pelo terreno, mas a obra não foi executada. A empreiteira também teria comprado um apartamento vizinho ao que o ex-presidente mora, em São Bernardo do Campo. Lula já fora condenado a nove anos e meio de prisão no caso do tríplex do Guarujá.

Na semana passada, Palocci disse a Moro que Lula fez "pacto de sangue" com Emílio Odebrecht, fundador da construtora, e que "o pacote de propinas" envolveria R$ 300 milhões para "atividades políticas" do ex-presidente.

"Eu fiquei vendo o Palocci falar. Ele inventou uma frase: 'pacto de sangue com Emílio Odebecht'. Mas ele é quem fez um pacto de sangue com os delatores, com os advogados dele e talvez com o Ministério Público, porque ele disse exatamente o que o Power Point (referência à entrevista coletiva de procuradores da Lava Jato em que foi exibida uma apresentação apontando o ex-presidente como "comandante máximo" do esquema do petrolão) queria que ele dissesse", disse Lula a Moro.

Segundo Lula, ele tem tido paciência. "Muita gente achou que eu ia chegar aqui com muita raiva do Palocci. Eu achei que Palocci está preso há mais de um ano, o Palocci tem o direito de querer ser livre, tem o direito de ficar com o pouco de dinheiro que ele ganhou fazendo palestras." O ex-presidente disse que "o que não pode, é se você não quer assumir as responsabilidades pelos atos ilícitos que você fez, não jogue em cima dos outros".

"Eu fiquei muito preocupado com na delação do Palocci, porque ele poderia ter falado eu fiz isso de errado, e fiz isso. Ele espertamente disse 'não é que eu sou santo' e pau no Lula", concluiu.