01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

Governo Temer decide manter horário de verão

Regime vale para três regiões do país e vai de 15 de outubro a 17 de fevereiro

Por O Dia

O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, confirmou ontem a manutenção do horário de verão para este ano. Segundo ele, o governo avaliou que não haveria tempo hábil para fazer uma pesquisa. "Mas queremos fazer uma consulta à população, com mais tempo, como a Casa Civil já anunciou", disse o ministro. "Ficou apertado. Vamos fazer esse levantamento e, dependendo de como for a reação, avaliamos à frente."

Neste ano, o horário de verão vai começar no dia 15 de outubro, quando as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão adiantar os relógios em uma hora. O regime termina dia 17 de fevereiro, fim de semana seguinte ao Carnaval.

Estudos realizados pelo Ministério de Minas e Energia apontam que o horário de verão não proporciona mais economia de energia. Isso se deve principalmente à popularização dos aparelhos de ar-condicionado, item que consome muitos kwh. A escassez de chuvas e o baixo nível dos reservatórios das hidrelétricas, no entanto, pesou na decisão do governo de manter o horário de verão este ano. Apesar de descartar o acionamento das usinas termelétricas, cujo custo está acima do preço da energia no mercado à vista, o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico autorizou o aumento da importação de energia da Argentina e do Uruguai e uma campanha de estímulo à economia de energia.

O pico de demanda atualmente ocorre no início da tarde, entre 14h e 15h, quando a temperatura está mais alta. No passado, o 'vilão' da conta de luz era o chuveiro elétrico, e o momento de maior demanda ocorria entre o fim da tarde e o início da noite, entre 17h e 20h.