01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

Renan ataca Temer

Por O Dia

Hoje na oposição, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) está em guerra contra o presidente Michel Temer. Renan agora o acusa de ter mantido negociações com o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na tentativa de livrar amigos da Lava Jato, incluindo ministros e o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, hoje preso. Para o senador, Cunha e Temer são "umbilicalmente" ligados. "Aquilo ali é um corpo só", atacou .

Renan relatou conversas mantidas com o presidente pouco antes de seu rompimento com o governo, em fevereiro. Disse que Temer chegou a dizer a ele que "fecharia os olhos" para a sucessão de Janot, nomeando um aliado dele, Nicolao Dino, se fosse o mais votado na lista tríplice do MP. Em troca, teria acertado que o procurador-geral não denunciaria ministros."Foi por isso que Michel fez aquele pronunciamento, em fevereiro, dizendo que, se um ministro fosse denunciado, seria afastado. Já tinha um acordo", afirmou.

Em nota, a Secretaria de Comunicação da Presidência negou as acusações. "O senador Renan Calheiros deveria escolher melhor seus amigos-informantes. Verifica-se, pelas informações fantasiosas, que essa é mais uma de suas escolhas erradas", diz o texto.