SAÚDE: PARCERIA RIO-SÃO PAULO

Por O Dia

As prefeituras de Rio e São Paulo fecharam parceria para reduzir custos na compra de materiais, medicamentos e insumos. A ideia é fazer licitações em conjunto. Ambas as secretarias de Saúde já levantam os remédios usados em comum. A informação foi antecipada pelo secretário de Saúde do Rio, Marco Antônio de Mattos. O anúncio oficial será dia 31.

Sobre o atraso em repasses a Organizações Sociais que atuam em hospitais, ele descartou a possibilidade de interrupção nos serviços. Marco Antônio é servidor concursado do município há 25 anos e irmão do vereador Carlos Eduardo (SD).

ODIA: Vou começar pela pergunta que é o temor de boa parte da população: a crise pode levar à interrupção de serviços na Saúde?

Marco Antônio: Não tem nenhuma chance de parar serviço na Saúde. Isso é uma posição adotada não só pela Secretaria de Saúde, mas já verbalizada pelo prefeito Marcelo Crivella. A Saúde é prioridade. Muito pelo contrário: nesses quatro meses em que estou à frente da secretaria, já foram inauguradas três Clínicas de Saúde da Família. E vamos abrir mais duas ou três mês que vem.

Essa é justamente uma crítica das Organizações Sociais (OSs) que atuam em hospitais. Que a prefeitura não as paga, mas abre novas clínicas...

Existem alguns atrasos em repasses em decorrência da mudança no calendário de pagamento, instituída pela Secretaria de Fazenda. Mas as secretarias de Saúde e Fazenda têm feito todos os esforços para trazer o mínimo de transtorno possível ao funcionamento dos nossos equipamentos.

Em agosto, o Instituto Philippe Pinel chegou a fechar por um dia...

A decisão de fechar não passou por mim. Assim que soube, mandei reabrir. Já há uma determinação: nenhuma unidade de Saúde do município fecha sem a autorização do secretário de Saúde.

Uma das promessas de campanha de Crivella é que faria auditoria nos contratos com OSs. Em que pé isso está?

Eu enviei um ofício para a controladora-geral do Município, tem entre 45 e 60 dias, solicitando a ela que auditasse todos os 26 contratos. Estamos aguardando esse resultado. Importante ressaltar que algumas OSs pedem o chamado "reequilíbrio do contrato". Dizem que quando assinaram o contrato, o valor a receber era baixo. E agora pedem mais. Aí eu pergunto: então por que que tu assumiu? Na época o contrato não era adequado?

Soube que há uma parceria entre Rio e São Paulo na Saúde. O que é?

Isso teve início numa conversa do prefeito Crivella com o prefeito (João) Doria. A ideia é comprar insumos, materiais e medicamentos em conjunto para as nossas unidades. Com as duas prefeituras comprando em conjunto, no atacado, o preço vai cair muito. Serão licitações em forma de pregão eletrônico. Técnicos de ambas as secretarias de Saúde já estão fazendo levantamento dos medicamentos que utilizamos em comum. O lançamento oficial está previsto para o dia 31.

Comentários