Por

O Ministério Público Federal (MPF) pediu ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região o aumento da pena aplicada à ex-presidente do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) Carmem de Almeida da Silva. Ela foi condenada a cinco anos de reclusão por associação criminosa e oito crimes de peculato ao usar licitações fraudadas em 2006 para desviar recursos do Cofen. Os recursos do MPF e da defesa ainda serão julgados pelo TRF-2.

Você pode gostar