Ele é show

Por Gabriel Sobreira

O telespectador que acompanha o 'Dancing Brasil', da Record, tem se surpreendido com o lado dançarino do apresentador Yudi Tamashiro, de 25 anos. Para quem não sabe, desde os 12 anos, ele é apaixonado por dança, em especial o hip hop. "Sempre dancei e esse convite caiu como uma luva", comemora ele, que participou do reality 'A Fazenda', em 2013.

VÍTIMA DE PRECONCEITO

A repercussão do programa tem atraído novos fãs para o artista. "O meu público antes era adolescente, mas agora tenho recebido carinho também de pessoas com 40 e 50 anos", conta.

Presença constante em várias atrações na TV - ele também passou 17 anos apresentando programas infantis -, Yudi acredita que o 'Dancing Brasil' lhe traz um novo status. "O pessoal do showbiz e do teatro tem um certo preconceito comigo. Graças ao 'Dancing', não sou só apresentador. Existe um artista, uma história por trás disso tudo. Quando estou na Record Rio, os atores da próxima novela da emissora, 'Apocalipse', vêm falar comigo. Isso não tem preço", derrete-se.

O fato de ser considerado favorito ao título é visto com ressalva pelo participante. "O favoritismo pesa demais. Toda semana tem que vir melhor. Mas faz parte do jogo".

PARCEIRA BAIXINHA

Assim que recebeu o convite para participar do programa de dança, Yudi fez um pedido especial para a produção. Medindo apenas 1,58m, ele gostaria de ter uma parceira da mesma altura. "Não conseguiram achar", lembra o rapaz, aos risos, que dança com a coreógrafa Bárbara Guerra. "Acho que ela tem uns 10 centímetros a mais do que eu. E ainda tem o salto", acrescenta.

SAPATO ESPECIAL

A questão da altura é tão importante que Yudi ganhou uma força especial. "Nas primeiras danças, fizeram um sapato com salto especial para mim. Tipo com um salto mesmo. Mas começou a doer a panturrilha e canela, e resolvi assumir minha estatura", conta, com bom humor.

Para ele, alguns movimentos e ritmos pedem que a cintura dos parceiros esteja alinhada. E quando isso não acontece, não fica bonito. "No foxtrote, dancei na ponta do pé", lembra. O apresentador diz que o homem é que deve conduzir a mulher, mas como não é profissional de dança, fica mais difícil. "Só sobrou eu dos competidores masculinos", explica.

ENSAIO DE CINCO HORAS

Yudi ensaia três vezes na semana (quarta, quinta e sexta), das 13h às 18h. Ele conta que ainda deveria ensaiar bem mais, pois dentro desse tempo é montada a coreografia, feito os ensaios e corrigidos os erros. "Para um musical ficar pronto, precisa de três meses, com oito horas de ensaio de segunda a sábado. Estamos fazendo praticamente musicais com três dias e cinco horas de ensaios", compara ele, que participou do 'Mamonas, o Musical'. "Voltaremos em outubro para fazer as praças desse país", avisa.

ESTIRAMENTO E FISIOTERAPIA

Com tantos ensaios, Yudi faz de tudo para não se machucar mais. É porque ele já se lesionou no programa. "Estirei a virilha e continuei dançando. Acho que a vontade tem que falar mais alto que a dor. Estou fazendo fisioterapia, mas estou ali para dançar. Já me machuquei tantas outras vezes. Japonês é assim, pode cair o mundo, mas quando é para trabalhar, ele trabalha", frisa, com orgulho.

O apresentador explica que parou de fazer o musical para entrar no 'Dancing Brasil'. Ele conta ainda que vai participar de um filme sobre os Mamonas Assassinas. "Ainda não temos previsão de quando começará porque precisamos da autorização de todas as famílias, das pessoas que fizeram parte da vida deles. Enquanto isso, estamos esperando", pontua.

NAMORADA ALTA

Quando não está ensaiando e tem tempo de sobra, ele encontra a namorada, a modelo Wanessa Bicalho, de 25 anos e 1,80m. A diferença de altura é só um detalhe. Yudi é louco pela a amada. "Combinamos muito", revela, apaixonado.

Para marcar os encontros, o casal tem cortado um dobrado com a rotina intensa do programa e a agenda de trabalho da modelo. "Mas damos sempre um jeito. Estamos juntos há um ano e três meses", afirma.

ROMANTISMO E VIDEOGAME

Yudi revela que é romântico quando dá tempo de ser, mas que ultimamente tem pensado mais nos ensaios. "Quando nos encontramos, jogamos PlayStation em casa. Ela é viciada no jogo e bem melhor do que eu. Compramos salgadinho, chocolate e jogamos", conta ele, que tem uma tatuagem na panturrilha direita com a palavra PlayStation - da época em que sorteava videogames aos telespectadores dos programas infantis que apresentava. "Tenho o maior orgulho da minha trajetória", enfatiza.

O sonho de subir ao altar existe. "Eu acho que toda relação que comecei falei em casamento. Para mim, tudo que começa tem que pensar em construção a dois. Mas não no momento. Falamos sobre isso. Acredito que esse é o momento do trabalho", atesta.

PROGRAMA DE ENTREVISTA

No campo profissional, o apresentador tem mais novidades. É que, no dia 17 de outubro, ele vai estrear como apresentador do 'Programa do Yudi'. "Ainda não posso falar a emissora porque ainda vamos assinar o contrato, mas posso adiantar que estou muito feliz e que será um programa de entrevistas", conta, em tom de mistério.

Assim que acabar o 'Dancing Brasil', ele também lançará, no canal dele do YouTube, clipes dos ritmos dançados no palco do reality. "Quero mostrar a minha evolução, principalmente como artista", promete. Se vencer o programa e faturar o prêmio de R$ 500 mil, Yudi garante não saber o que fazer com a grana. "Meu grande prêmio é ser reconhecido como artista. O dinheiro vai servir para investir na minha carreira, que é tudo para mim", resume o apresentador, cheio de esperança.

Galeria de Fotos

Yudi e Bárbara no 'Dancing Brasil' Blad Meneghel/Record
Yudi e Bárbara no 'Dancing Brasil' Blad Meneghel/Record
Yudi e Bárbara no 'Dancing Brasil' Blad Meneghel/Record
Yudi e Bárbara no 'Dancing Brasil' fotos Blad Meneghel/Record
Yudi e Bárbara no 'Dancing Brasil' Reprodução
Yudi e Bárbara no 'Dancing Brasil' Blad Meneghel/Record
Yudi e Bárbara no 'Dancing Brasil' Blad Meneghel/Record

Últimas de Diversão