Chacrinha de todos os tempos

Especial que a Globo exibe amanhã tem a participação de artistas que conviveram com o Velho Guerreiro, como Roberto Carlos e Fábio Jr., e outros que nem o conheceram, como Anitta e Luan Santana

Por Gabriel Sobreira

Começa a tocar "Ó Terezinha, ó Terezinha, é um barato o Cassino do Chacrinha", o bacalhau e a berinjela são entregues ao público, a anarquia rola solta, sete telões de LED de 200 metros quadrados de painéis com imagens de frutas em néon. Pelo túnel entra Chacrinha (Stepan Nercessian), que é ovacionado por todos, aplaudido de pé.

Esse é só um trecho do especial 'Chacrinha, O Eterno Guerreiro', a ser exibido amanhã, às 22h25, na Globo. "É sempre um momento mágico. Vestir-me de Chacrinha é como se fosse partir para uma viagem de sonhos e aventuras", diz Stepan, na pele do Velho Guerreiro, vestido de casaca vermelha, gravata borboleta em paetê, cartola, colete e mocassim dourado.

INSPIRAÇÃO PERMANENTE

José Abelardo Barbosa de Medeiros, mais conhecido como Chacrinha, completaria 100 anos no próximo dia 30, se estivesse vivo. Mas para a muitos a memória dele continua viva e presente no que conhecemos como TV.

"Chacrinha é uma inspiração permanente para todo mundo que faz TV. O padrão dos apresentadores era da voz empostada perfeita com articulação e dicção sem sotaque, e veio o Chacrinha com aquela verdade, voz ruim, dicção enrolada, sotaque pernambucano. Mas com uma proposta de imaginação que o espectador ouvinte embarcava, e era libertador e ainda é muito libertador", explica o apresentador e jornalista Pedro Bial, em um dos depoimentos que serão exibidos no programa. Fausto Silva e Serginho Groisman também gravaram.

O DESAFIO

Para o diretor artístico Rafael Dragaud, ele tinha em mãos um desafio enorme. "A TV hoje é muito organizada, planejada. É muito difícil hoje você reservar um espaço para a liberdade do caos. E nem pode ser um caos verdadeiramente, a gente tem os horários, tudo planilhado, muito planejado. Esse espaço reservado foi muito batalhado. O maior desafio do programa é conseguir manter esse ambiente", explica.

ATRAÇÕES ESPECIAIS

No palco, atrações como Anitta, Luan Santana, Marília Mendonça, Luiz Caldas, Ney Matogrosso, Blitz, Roberto Carlos, Fábio Júnior, Ivete Sangalo, Sidney Magal e Alcione mostram todo o carinho pelo comunicador. Todos tratando Stepan como Chacrinha.

"Alguns não tinham convivido com o Chacrinha, como a Anitta e o Luan, ou a Marília ou a própria Ivete, que entrou e parecia uma criança", completa a diretora geral Daniela Gleiser. "Quando a gente entendeu qual era o conceito do programa, que era fazer um Chacrinha de todos os tempos, que não era algo preso no passado. A sensação que a gente teve é que esse programa podia estar no ar hoje. Não seria algo datado", defende o diretor artístico Rafael Dragaud.

ARTISTAS EM PLAYBACK

Assim como na época de Abelardo Barbosa, alguns músicos se apresentaram usando o famoso recurso do playback. "O programa antigamente era todo playback. A pessoa entrava e tocava bateria sem a bateria, a Blitz tocava guitarra desplugada. Cantaram em playback o Ney, o Magal, o Luiz Caldas e a Angélica. Foi uma combinação de um a um. A gente queria que tivesse playbacks para relembrar", explica Daniela.

No corpo de jurados, nomes como Ana Maria Braga, Fernanda Lima, Glória Maria, Luciano Huck, Angélica, Regina Casé, Tiago Leifert e André Marques. "É importante ressaltar que temos grandes apresentadores como jurados e que são sucessores dessa energia do Chacrinha", defende o diretor.

Entre uma brincadeira e outra, Angélica dá um selinho em Chacrinha (Stepan) e lembra bastante quando Elke Maravilha fazia o mesmo no Velho Guerreiro. Já Tiago Leifert encarna o tipo jurado rabugento, algo parecido com o que Edson Santana fazia com o saudoso comunicador. "Eles estavam entrando no clima do que era o Chacrinha", justifica Daniela Gleiser.

SEM CHACRETES ORIGINAIS

Presença obrigatória no programa, original e na homenagem, as chacretes também tiveram a vez delas. Só que não teve qualquer brecha para homenagem às verdadeiras, como Rita Cadillac. "O programa não tem esse aspecto museológico. Não quisemos levar para esse lado, até porque estão previstos outros produtos por essa linha. Vai ter um filme, provavelmente uma série. O que quisemos fazer é uma atualização daquilo", esclarece Dragaud.

STEPAN, O CHACRINHA

A escolha de Stepan Nercessian para viver o Velho Guerreiro não poderia ser diferente depois que ele viveu o comunicador no espetáculo 'Chacrinha, o Musical', em 2014. "E como ele viveu muito no teatro, ele se apropriou do tom, da rapidez da piada. Esse é um programa roteirizado, mas têm coisas que são dele e não está escrito", diz o diretor.

SEM EXCESSOS

Com o politicamente correto imperando, os diretores redobraram a atenção. "Eles tinham coisas que faziam com as chacretes, que eram um pouco radicais, e a gente se preservou. Tivemos cuidado com o discurso dele (Chacrinha). Não o vejo engessado", frisa Daniela.

Galeria de Fotos

Convidados do programa em homenagem ao Chacrinha Divulgação/TV Globo
Convidados do programa em homenagem ao Chacrinha Divulgação/TV Globo
Convidados do programa em homenagem ao Chacrinha Divulgação/TV Globo
Convidados do programa em homenagem ao Chacrinha Divulgação/TV Globo
Convidados do programa em homenagem ao Chacrinha Divulgação/TV Globo
Convidados do programa em homenagem ao Chacrinha Divulgação/TV Globo
Convidados do programa em homenagem ao Chacrinha Divulgação/TV Globo
Stepan Nercessian como Chacrinha João Miguel Júnior/TV Globo

Últimas de Diversão