Jornalismo puro da CNN é exemplo a ser seguido

Por O Dia

Cobertura de guerras e acidentes da natureza, entre outras tragédias, são sempre grandes desafios para qualquer jornalista, muitas vezes deixando marcas para o resto da vida. A passagem do Irma, com todos os estragos causados, foi mais uma dessas desgraças e o trabalho realizado pela CNN, como não poderia deixar de ser, em mais esta vez chamou atenção pelo alto grau de profissionalismo e seriedade.

Informações precisas a todo o momento, sem nunca deixar de ressaltar ou valorizar o trabalho e nomes dos repórteres que se colocam na linha de frente. Aliás, muito diferente do que, no geral, acontece aqui.

O que se viu, em toda a cobertura da CNN, foi jornalismo puro, destacando sempre a importância da notícia. Tudo ao contrário do que fez uma correspondente da GloboNews, no comecinho da noite de domingo, que no alto de um terraço de hotel, segura, sem correr qualquer risco e uma janela ao fundo como cenário, se limitou a falar dela.

Disse que no local não havia luz, que foi obrigada a subir vários lances de escada e por isso estava suada. Tá bom. Melhor que ela se saiu um cubano, na sequência da mesma GloboNews, com uma garrafa de cerveja na mão, mas se preocupando em mostrar com imagens do celular o estrago do lado de fora.

Últimas de Diversão