Como garantir o saque do PIS

Erros no cadastro podem fazer com que trabalhador não consiga tirar o dinheiro

Por MARTHA IMENES

Em tempo de "vacas magras" uma graninha no bolso para pagar uma conta, por exemplo, não faz mal algum, certo? Uma oportunidade de reforçar o orçamento é o saque do PIS/Pasep. Mas para retirar o abono é importante estar com os dados cadastrais em dia para não ter dor de cabeça. Este mês estão recebendo os trabalhadores nascidos em setembro e os servidores públicos que tenham inscrição com final 2.

E a partir de amanhã a expectativa é de que o presidente Michel Temer anuncie a data para que mulheres com mais de 62 anos e homens acima de 65 comecem a receber o abono a partir de outubro. Esse calendário referente aos idosos vai até março de 2018 e especula-se que siga o modelo do PIS/Pasep normal, ou seja, pela data de aniversário. Mas o que poderia ser uma coisa simples pode se complicar. Isso porque alguns trabalhadores com direito a sacar essa cota podem não conseguir pegar o dinheiro se tiverem algum erro no seu cadastro.

Erro no nome da mãe, data de nascimento, dois números de PIS ou identidade diferente no documento e no sistema são comuns e impedem a consulta do saldo e o resgate do abono na data em que o dinheiro for liberado", adverte Jorge Teodoro, do escritório Daris, Pires e Teodoro Advogados & Associados. E só pode sacar quem estiver com os dados certos e para acertar não é complicado, segundo o especialista. "Via de regra com os documentos pessoais esses acertos para quem tem carteira assinada são feitos na Caixa Econômica Federal no setor de atendimento PIS/FGTS e os dados do Pasep, no caso de servidores, são feitos no Banco do Brasil", informa o advogado. Após o acerto, o dinheiro é liberado após cinco dias úteis.

De acordo com resolução do governo federal, quem estiver com todos os dados cadastrais em dia vai receber o valor na hora, conforme a data definida para a liberação do abono, que ainda será divulgada. O que é criticado pelo advogado: "O que mudou agora é que não mais os trabalhadores que se aposentam e que possuam saldo de cotas do PIS/Pasep recebem esse saldo com a carta da aposentadoria. Agora os aposentados ficam submetidos ao calendários dos trabalhadores da ativa que recebem o abono", informa.

Comentários

Últimas de Economia