Uma em cada 4 pessoas guarda dinheiro

Por O Dia

Somente um em cada quatro brasileiros conseguiu economizar dinheiro em agosto, e a renda limitada é o motivo apontado por quem não poupou nenhuma parcela de sua renda mensal, mostra pesquisa do birô de crédito SPC Brasil. O indicador de reserva financeira calculado pelo SPC Brasil e pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 75% dos entrevistados não guardaram dinheiro em agosto, aumento de 3,4 pontos percentuais na comparação com julho.

Segundo o birô, 48% disseram que não conseguiram economizar por conta da baixa renda. O desemprego elevado fez com que a ausência de renda fosse mencionada por 16% dos consultados pelo SPC Brasil, enquanto imprevistos responderam por 14% das razões para não poupar.

A bancária Isabelle Pacheco, 22 anos, investe na caderneta de poupança desde os 18 anos. "Abri uma poupança logo que comecei a trabalhar. Desde então, invisto parte do meu salário. Tomei essa decisão, pois queria ter uma reserva em caso de emergência e para objetivos futuros. É muito válido essa economia, pois é um investimento simples e de baixo risco", afirma a bancária.

Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil, explica que, mesmo que não se poupe um valor expressivo, o hábito de guardar dinheiro ajuda a não ultrapassar os ganhos e a manter um maior controle financeiro.

"Se o consumidor for surpreendido por alguma situação que demande dinheiro, e não dispor da quantia, poderá acabar tendo que recorrer a empréstimos e pagar juros que, em geral, são muito elevados. É sempre muito inconveniente ter que buscar recursos numa hora ruim. Daí a importância de estar minimamente preparado para fazer frente a esses eventos", diz.

De acordo com a pesquisa feita, somente 33% dos brasileiros têm o hábito de poupar. O investimento escolhido por 61% de quem guarda dinheiro habitualmente é a caderneta de poupança. Já os fundos de investimentos aparecem com 8% e os CDBs (títulos bancários) são opção de apenas 5%.

Comentários

Últimas de Economia