01 de janeiro de 1970
  • WhatsApp (21) 98762-8248

Formação para 'ensinar' a empreender na escola

Professores são preparados para disseminar empreendedorismo em sala de aula. Parceria entre PUC-Rio e Sebrae formou 150 profissionais do Pronatec

Por O Dia

Cerca de 150 professores do Pronatec concluíram a primeira edição do curso de pós-graduação em Educação Empreendedora, oferecido pela PUC-Rio em parceria com o Sebrae. Os diplomas serão entregues no fim deste mês depois de os alunos terem concluído 400 horas de aula em 18 meses, com grade curricular de 12 disciplinas. As instituições já anunciaram novas turmas para o ano que vem, ainda sem data para inscrição. Mas a coordenadora do curso, Júlia Zardo, do Instituo Gênesis, informa que as vagas serão destinadas a todos os professores e pessoas interessadas em repensar a educação.

A proposta do curso de pós-graduação, que contou com turmas à distância e presencial, é implementar a cultura do empreendedorismo no ensino técnico por meio dos professores, causando um efeito multiplicador nas salas de aula do país. Segundo Júlia Zardo, a estratégia é promissora para democratizar o conhecimento em inovação e incentivar as pequenas empresas.

"Além de melhorar a experiência em sala de aula, os profissionais que fazem parte das redes municipais e estaduais de educação poderão disseminar o conceito de empreendedorismo e sua importância por meio de ações ou políticas públicas", argumenta.

Ao fim do curso, os alunos, de 27 estados do país, formularam propostas inovadoras em áreas como prevenção ao uso de drogas, exploração do turismo e melhorias no sistema prisional.

Um dos alunos do curso, Edmilson Meira, coordenador do Pronatec no Instituto Federal de Rondônia, propôs a criação de um ambiente virtual em que professores da rede pública municipal, estadual e federal pudessem fazer um curso de empreendedorismo em cada cidade brasileira, partindo do exemplo dado pelo Rio de Janeiro.

"Os professores da rede pública de ensino podem ser importantes fomentadores do empreendedorismo. A ideia é partir do micro (município) e ir subindo até chegar ao macro (federal), para assim formatarmos uma base nacional curricular comum que inclua o empreendedorismo", propôs o aluno.

Gestores de empresas pública e privadas também participaram do curso.