Tite quer rivais fortes na reta final do Mundial

Técnico aponta Brasil como um dos favoritos, mas faz menção à Bélgica

Por MARCELO BERTOLDO

A menos de um ano da Copa do Mundo da Rússia, Tite está à espera de concorrentes mais duros para consolidar a preparação da Seleção na busca pelo hexa. Com mais dois compromissos pelas Eliminatórias Bolívia e Chile, em outubro , o Brasil fará um amistoso com o Japão em novembro, na França. O treinador admitiu o favoritismo da Seleção, mas reiterou o desejo de enfrentar equipes europeias na reta final a caminho do Mundial de 2018 e destaca a Bélgica.

"A Alemanha está muito forte. A França, a Itália sempre têm que estar. Mas gosto da Bélgica. Vários talentos individuais, muita qualidade junta há muito tempo. Pela adversidade, gostaria de enfrentar essas equipes. Por vezes, o nível técnico se equipara... Argentina, Colômbia, Uruguai têm muita qualidade, mas com características diferentes. O Brasil é um dos favoritos ao título, sim. Pela história e pelo que vem desempenhando. Em cima do presente do que os atletas estão fazendo", disse Tite.

Durante evento da Samsung, no Rio, o treinador reconheceu a dificuldade para fechar a lista dos 23 jogadores que disputarão a Copa, e garantiu que ainda há vagas em aberto. A surpresa na convocação de Danilo, do Manchester City, Arthur, do Grêmio, e Diego Tardelli, do Shandong Luneng, para os duelos com Bolívia e Chile, reforça o discurso do treinador.

"Temos que aproveitar cada momento, cada treino, concentração... O tempo de preparação foi menor. Tem que apressar", avisou Tite.

Comentários

Últimas de Esporte