A força que vem de fora e ajuda o Vasco a ganhar

Contra a Chape, volante Jean espera apoio da torcida no último jogo com portões fechados em São Januário

Por O Dia

O Vasco enfrenta amanhã a Chapecoense em São Januário, na última partida sem a presença da torcida, como punição pelo tumulto no clássico do primeiro turno contra o Flamengo. Mesmo com as arquibancadas vazias, o volante Jean espera receber a energia dos vascaínos, que prometem mais uma vez cantar e empurrar o time do lado de fora do estádio. Contra o Grêmio, os torcedores lotaram os arredores de São Januário.

"O apoio da torcida é incondicional, mesmo estando lá fora. Contra a Chape a gente precisa disso", disse Jean. "Qual torcida vai em dia de portão fechado e lota os arredores de São Januário? Isso é amor à camisa", completou.

Com o time em nono lugar, com 32 pontos, a sete de distância do Flamengo, que está dentro da faixa de classificação para a Libertadores, Jean tem a consciência de que o time precisa aproveitar o bom momento para subir ainda mais na tabela.

"Viemos de bons jogos contra Fluminense, Grêmio e Corinthians. Contra o Sport, conseguimos pontuar fora de casa. É evidente que o nosso grupo vem em uma crescente muito boa no Brasileiro. O nosso objetivo hoje é olhar para a parte de cima da tabela", afirmou Jean.

Ontem, o técnico Zé Ricardo comandou um treino tático em São Januário e deve mandar a campo contra a Chapecoense a mesma equipe que iniciou o confronto com o Sport: Martín Silva, Madson, Breno, Anderson Martins e Ramon; Jean, Wellington, Yago Pikachu, Nenê e Mateus Vital; Andrés Ríos.

CLÁSSICO COM O BOTAFOGO

Em entrevista à Rádio Tupi, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, garantiu que mandará o clássico diante do Botafogo, dia 14, no Rio. "Se estiver tudo de acordo, será em São Januário. Porém, se tiver qualquer tipo de problema, logística, expectativa de público, enfim, posso levar para o Maracanã", avisou Eurico.

Comentários

Últimas de Esporte