Flu sem experiência e sem dinheiro

Com elenco enxuto e em crise financeira, clube ainda é pressionado pelo risco de rebaixamento no Brasileiro

Por O Dia

Com três reforços no início do ano, aproveitamento de muitos jovens da base no elenco e, recentemente, quatro apostas contratadas, o Fluminense começa a sofrer com a falta de dinheiro para investir no futebol. Cada vez mais perto da zona de rebaixamento no Brasileiro, a pressão aumenta e a preocupação com a inexperiência do grupo fica maior. Mesmo assim, a diretoria tricolor não admite erro no planejamento de 2017.

"É fácil falar agora. A capacidade de investimento do Fluminense é praticamente zero desde o começo do ano. A gente montou o time dentro do que poderíamos fazer. É um time jovem, com Cavalieri e Henrique para dar suporte a esses garotos. É óbvio que a gente não conseguiu, pelas nossas próprias limitações, montar um elenco robusto. Ele é enxuto", afirmou o vice de futebol, Fernando Veiga, reforçando que o time ainda perdeu vários jogadores por problemas de lesão grave.

A política tricolor se deveu à grave crise financeira pela qual passa o clube. Com déficit previsto de R$ 76 milhões em 2017, o Fluminense se viu sem opções para formar o elenco. Lucas, Orejuela e Sornoza foram as únicas novidades. Precisando de dinheiro, vendeu Richarlison e trouxe quatro apostas: Marlon, Robinho, Richard e Romarinho.

"Não gosto dessa palavra herança, mas recebemos um clube sem fluxo de caixa, entupido de jogadores com contratos longos, caríssimos, que não tinham a mínima condição de jogar no Fluminense. Como se resolve isso de uma hora para outra sem dinheiro?", lamentou o dirigente.

Comentários

Últimas de Esporte