Na manipulação de alimentos, pode haver falhas na higiene e no controle de tempo e temperatura que podem comprometer a saúde do consumidor

Por O Dia

Rio - Na manipulação de alimentos, pode haver falhas na higiene e no controle de tempo e temperatura que podem comprometer a saúde do consumidor. No controle da segurança de grandes eventos, é imprescindível a presença de um profissional bem treinado que entenda os perigos e os riscos e toda a legislação vigente. Isto demanda investimento em capacitação e experiência. A falta do controle da temperatura dos alimentos e do tempo em que foram expostos a temperaturas abusivas, permitindo o crescimento de microrganismos e a produção de toxinas, é um erro bastante comum. Aliado à falta de higiene adequada, pode até matar.

Em dois dos casos polêmicos no Rock in Rio o dos sanduíches da área VIP e o dos produtos da renomada chef , a atuação da Vigilância Sanitária foi corretíssima, pois não se pode vender produtos que possam representar risco aos consumidores.

No primeiro caso, um alimento que deveria ser mantido até 5ºC foi mantido acima de 20ºC, estando dentro da faixa de temperatura perigosa para o crescimento de micro-organismos. Note que, mesmo que haja procedimentos de higiene adequados, ingredientes e matérias-primas podem conter organismos que causam doenças e, para bloqueá-los, é preciso que se faça um controle adequado das temperaturas e do tempo durante todo o processo de manipulação.

No segundo caso, os queijos não poderiam ser comercializados fora do estado porque não há comprovação de que eles foram produzidos em condições apropriadas para circular no resto do Brasil. No Ministério da Agricultura há toda uma estrutura para avaliar se o estabelecimento produtor está de acordo com as regras necessárias para produzir alimentos seguros, livres de fraude e cuja produção não agrida o meio ambiente.

Em municípios de Minas Gerais e São Paulo, produtores são fiscalizados pelo SIM e podem comercializar em todo o Brasil porque as instalações e o processo preenchem os requisitos de qualidade. Ali, os produtos possuem o selo do Sisbi, que só pode ser concedido em municípios em que há equivalência ao Serviço de Inspeção Federal atendendo aos requisitos de infraestrutura administrativa; inocuidade dos produtos; qualidade dos produtos; prevenção e combate à fraude e controle ambiental. Portanto, há alternativas de produtos de qualidade e segurança comprovada, inclusive artesanais, que podem ser vendidos.

 

Últimas de _legado_Notícia