A chegada de 1,4 milhão de participantes de congressos e feiras promete aquecer a economia

Por O Dia

Rio - A fama que o Rio de Janeiro tem de ser a 'porta de entrada' para os investidores no Brasil vem se consolidando com o fortalecimento do turismo de negócios. Autoridades e empresários nacionais e internacionais apostam nesse segmento como a saída para alavancar, principalmente, o crescimento econômico. E para os próximos 10 anos, os planos são otimistas: 289 eventos corporativos estão confirmados na cidade. Serão mais de 1,4 milhão de turistas que vão injetar, aproximadamente, R$ 4,5 bilhões na economia carioca.

Com 500 mil m²%2C o Riocentro é palco de centenas de eventos todo ano. São quatro pavilhões%2C um centro de convenção%2C um anfiteatro e um hotelDivulgação

O Calendário do Rio Convention & Visitors Bureau (Rio CVB) fundação privada, sem fins lucrativos, que dá assistência a organizadores de eventos, associações e corporações interessadas em realizar encontros e congressos no Rio foi obtido com exclusividade pelo DIA e prevê, de 2017 a 2027, eventos como congressos técnicos-científicos, convenções, encontros e palestras internacionais. Cálculos da instituição indicam que, na próxima década, só a arrecadação em Impostos Sobre Serviço (ISS) vai girar em torno de R$ 226,11 milhões (US$ 70,81 milhões).

MEGAEVENTO INTERNACIONAL

Em 2020, a cidade vai sediar o 27º Congresso Mundial de Arquitetura, com a presença de mais de 15 mil arquitetos estrangeiros. "Será o maior evento do Rio após as Olimpíadas. Estamos muito otimistas, mas também esperamos que a cidade consiga reverter algumas situações até lá, principalmente a segurança", declarou o presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil do Rio, Pedro da Luz.

InfográficoArte O Dia

Contando com os 104 eventos do Calendário Rio de Janeiro a Janeiro em 2018 que vão aumentar em 20% o número de visitantes na cidade os investimentos, juntos com as atividades fomentadas pelo Rio CVB, ultrapassarão R$ 10 bilhões nos próximos dez anos.

"O turismo é a solução para o Rio. Identificamos, só na área médica, 120 especialidades com potencial para eventos. Ano que vem, congressos de ginecologia e obstetrícia vão reunir 15 mil profissionais aqui", revelou o vice-presidente e diretor de Relações Externas da Riotur, Lucio Macedo, lembrando que o turismo move 52 seguimentos e cada hospedagem gera até três empregos. Segundo pesquisa encomendada pela Empresa Brasileira de Turismo à FGV, o Rio é o destino preferido para turistas de negócios (33,2%), contra São Paulo (16,7%). 

Lucio Macedo%2C vice-presidente da Riotur%3A "Turismo não é só opção%2C é solução para o Rio de Janeiro"Alexandre Macieira / Riotur

Especialista diz que cidade está preparada

Mas o Rio está preparado para receber turistas de negócios? Há espaços para eventos? E hospedagens adequadas? Especialistas garantem que sim. O assunto, aliás, foi um dos temas debatidos no 27º Congresso Brasileiro de Empresas e Profissionais de Eventos, no Riocentro, no início do mês, pela Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC-RJ) para 700 empresários.

“O Rio tem tudo para sair da estagnação econômica investindo nesse setor. Hoje, há ótima estrutura hoteleira, com redes criadas na Barra da Tijuca, por exemplo, com áreas
de até 30 mil metros quadrados para congressos”, ressaltou a presidente da ABEOC-Brasil, Adriana de Carvalho. “Mas é preciso investir mais em segurança, em legislações que permitam programas mais longos e não pontuais apenas, na flexibilidade de leis trabalhistas para contratações por mais tempo e mais eventos que atraiam turistas estrangeiros”, ponderou.

Segundo a ABIH-RJ, o turismo de negócios foi o principal motivo de estada na cidade ao longo de 2016. Dos 46% dos quartos alugados para pernoites, 37% foram para pessoas que vieram ao Rio a trabalho, 9% motivados por convenções, feiras e congressos.

 

Últimas de _legado_Notícia