Irma devasta parte de Cuba e chega à Flórida

Governador do estado americano alerta população sobre tempestade e enchentes

Por O Dia

O furacão Irma prossegue com seu rastro de destruição e morte. Ontem a tormenta atingiu a costa norte de Cuba como furacão da categoria 5, a mais alta, após devastar o Caribe, onde matou 22 pessoas, informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC). E hoje deve chegar à costa da Flórida, chegando a Keys na manhã de hoje. Uma das mais poderosas tempestades do Atlântico em um século, o Irma deve causar muitos danos por causa da força dos ventos e das enchentes no quarto estado mais populoso dos Estados Unidos.

Às 3h da madrugada de ontem (meia-noite no horário de Brasília), o furacão atingiu o arquipélago de Camagüey, com seu olho 190 km a leste-sudeste da cidade cubana de Caibarién, e a 485 km de Miami, com ventos firmes de 260 km/h.

Cuba começou a sentir os efeitos do Irma na manhã de sexta-feira na cidade de Baracoa, a mais antiga de Cuba, onde o mar penetrou no centro urbano, mas sem causar tantos danos quanto o furacão Matthew, há menos de um ano.

Desde quarta-feira, mais de um milhão de pessoas se deslocaram para casas de amigos e familiares e abrigos estatais, principalmente nas províncias de Holguín, Tunas, Camagüey, Sancti Spíritus, e Granma.

Nas zonas turísticas mais de 10 mil turistas estrangeiros e milhares de cubanos foram levados para locais seguros, informou o Ministério do Turismo. Embora distante da trajetória prevista do Irma, Havana, com dois milhões de habitantes, foi colocada em "alerta" pela Defesa Civil, pois pode ser afetada por rajadas de vento e marés de tempestade no domingo e na segunda-feira.

A destruição na costa norte de Cuba foi parecida com a que foi vista em outras ilhas do Caribe ao longo da última semana. A imprensa estatal afirmou que foi a primeira vez que o olho de um furacão categoria 5 atingiu terra firme desde 1932.

Últimas de Mundo & Ciência