Caribe à espera de Maria

Região, devastada por Irma, enfrentará mais um forte furacão esta semana

Por O Dia

Recentemente devastadas por Irma, as ilhas do Caribe se preparavam para a chegada, ontem, de nova tormenta, Maria, que ganhou força, passando à categoria 4. Maria se transformou em furacão no domingo, enquanto se dirigia para o leste do Caribe com ventos de até 150 km/h, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês) dos Estados Unidos.

Pela manhã, o furacão dirigia-se para a ilha francesa de Guadalupe. É nesta localidade onde se encontra a base das operações de resgate e ajuda humanitária para as localidades atingidas pelo Irma este mês. O NHC soou o "aviso de furacão" para Guadalupe, Dominica, São Cristóvão e Névis, Montserrat e Martinica, além de emitir uma "vigilância de furacão" para Porto Rico, Vieques e Culebra.

Além disso, advertiu que Maria pode produzir "uma perigosa tempestade e ondas grandes e destrutivas", as quais elevariam os níveis do mar entre 1,2 e 1,8 metro, em sua passagem pelas ilhas de Sotavento. O furacão Maria devia atingir essa localidade no fim da noite de ontem.

As autoridades francesas lançaram "alerta vermelho" para ciclones para a ilha da Martinica antes da chegada do furacão. Em nota, a prefeitura de Guadalupe pediu que "as pessoas não se desloquem, busquem abrigo, seja em casa, seja em um lugar seguro, e que relatem as condições climáticas por rádio".

O serviço meteorológico francês Météo France advertiu que "essa ameaça deve ser levada muito a sério". "Météo France espera ondas de até dez metros, ventos violentos de 150 km/h a 180 km/h, rajadas de até 200 km/h, chuvas pesadas de até 400 mm por local e que continuarão durante todo o dia na terça-feira", anunciou a agência.

Um segundo furacão, José, também está ativo no Atlântico e desencadeou alertas de tempestades tropicais para o nordeste dos Estados Unidos.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência