Presidente defende mais sanções contra a Venezuela

Por O Dia

Trump também fez um apelo para que a União Europeia aplique sanções ao "regime socialista da Venezuela" e agradeceu o apoio da Espanha nesse esforço coletivo. "Tenho esperança de que nossos amigos na União Europeia seguirão em breve os Estados Unidos, o Canadá e muitas outras nações latino-americanas na sanção ao regime de (o presidente Nicolás) Maduro", disse Trump em coletiva de imprensa conjunta com o chefe de governo espanhol, Mariano Rajoy.

O presidente americano afirmou que na Venezuela a população "tem suportado uma fome imensa, sofrimentos e perigos, além de instabilidade política" sob o que denominou de "um opressivo regime socialista".

Rajoy, por sua vez, disse que em um almoço de trabalho que teve com Trump compartilharam impressões sobre a "orientação totalitária" na Venezuela, assim como seu "consequente empobrecimento". "Constatamos a necessidade de manter a pressão internacional sobre o governo venezuelano", leu Rajoy. "Estamos liderando a proposta para punir a Venezuela", destacou o chefe de governo conservador, já que "neste momento não é um país democrático".

Na visão de Rajoy, o país sul-americano "está em uma orientação que a leva inevitavelmente a uma ditadura" e por isso está convencido de que "as sanções são importantes", assim como uma "coalizão internacional que pressione" o governo de Caracas. "É uma situação dramática", resumiu.

Comentários

Últimas de Mundo & Ciência