Catbras

Por Roberto Muylaert Editor e jornalista

Tragédias vêm ocorrendo em diversas partes do planeta, como furacões e terremotos, em locais como o Caribe, Sul dos Estados Unidos, México, Nova Zelândia, Itália. Por essa razão, o governo do Brasil decide criar uma estatal, caso fenômenos semelhantes ocorram por aqui.

Não há terremotos no Brasil porque nosso país está no centro, e não na borda, de uma das placas tectônicas do planeta. Não temos tsunami ou furacão, porque nossos mares não têm temperatura alta o suficiente para induzir a formação de tempestades.

Apesar do arrazoado acima, apresentado ao nosso governo, houve uma insistência na aprovação da nova estatal, que foi denominada Agência Nacional para a Prevenção de Catástrofes Naturais no Brasil, ou Catbras.

O modelo da nova agência governamental será calcada na organização do Dnocs, Departamento Nacional de Obras Contra as Secas, que possui 39 diretorias, divisões, ou coordenadorias, cada uma com seu responsável e equipe. O total de funcionários é de 13.845, sendo 1.782 ativos, 4.928 aposentados e 7.135 pensionistas.

Para inauguração da agência, serão convocados pelo presidente da República, para a sessão solene de instalação da Catbras, em Brasília, no Dia Nacional da Defesa Civil, 1º de fevereiro, os seguintes ministros: Casa Civil; Justiça e Segurança Pública; Defesa; Fazenda; Transportes; Portos e Aviação Civil; Saúde; Minas e Energia; Meio Ambiente; Integração Nacional, e Gabinete de Segurança Institucional.

A dotação inicial da empresa será de R$ R$1.278.821.245. O ministro da Fazenda está estudando de onde virão esses recursos.Talvez um percentual de 0,7% do que é roubado no Brasil todo ano, da ordem de 200 bilhões de reais, segundo o procurador Deltan Dallagnol, o que resulta em 1,4 bilhão de reais ao ano, equivalente à verba do Dnocs.

Segundo a Embrapa, que faz essa palestra para quem quiser ouvir, o Brasil não tem seca (seca é em Israel), apenas uma distribuição desigual de chuvas, fácil de solucionar colocando uma reserva de água individual nas habitações das regiões atingidas.

Daí o modelo escolhido para a Catbras ser o do Dnocs.

Por sua vasta experiência no Ministério de Minas e Energia em época de falta da própria, um nome cogitado para a presidência do novo órgão estatal é o do senador Edison Lobão (PMDB-MA)

Galeria de Fotos

Roberto Muylaert, colunista do DIA Divulgação

Comentários

Últimas de Opinião