Tiroteio em área de milícia e tráfico

Polícia Militar fez operação nas favelas de Antares e Rola, na Zona Oeste

Por Bruna Fantti

A Polícia Militar realizou uma operação, ontem, nas favelas do Rola e de Antares, em Santa Cruz, áreas onde o Comando Vermelho controla o tráfico de drogas. As favelas estão encravadas em uma região de atuação de milicianos, que trocam tiros com frequência com os traficantes.

A operação de ontem contou com o apoio de policiais do batalhão do bairro, além de outras unidades. Um homem, supostamente ligado ao tráfico, foi detido, e também houve apreensão de drogas e baterias de radiotransmissores.

A corporação realiza operações nas duas comunidades desde a semana passada, quando o grupo ligado ao miliciano Wellington Braga, o Ecko, invadiu as áreas, provocando horas de tiroteios. Conforme O DIA noticiou, a polícia acredita que Ecko fique sediado na Favela do Aço, distante apenas 2,5 km do Rola.

Apesar da invasão, os milicianos teriam saído do local após traficantes avisarem que voltariam com reforços do Complexo do Alemão para invadir áreas de milícia. Ações da PM na favela do Aço não foram realizadas.

Um levantamento do Ministério Público apontou que o número de policiais da ativa presos diminuiu nos últimos 10 anos, período em que a Secretaria de Segurança começou a combater os crimes paramilitares de forma mais contundente.

Das 1.276 prisões de milicianos realizadas entre 2007 e o primeiro semestre deste ano, 235 foram de PMs da ativa.

Ano a ano as prisões de servidores públicos foram diminuindo, demonstrando um suposto afastamento de bombeiros, PMs e policiais civis da composição dos grupos. Mas, para o promotor Luiz Ayres, a diminuição do número de prisões desses agentes aponta para uma participação mais velada de PMs."É só observar que são poucas as operações da PM em áreas onde atuam milícias", opinou.

Procurado, o comandante do batalhão da PM em Santa Cruz não estava disponível para entrevistas.

Últimas de Rio De Janeiro